Notícias de Última Hora :

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

Fonoaudióloga de Cuiabá alerta sobre limpeza de aparelhos auditivos no período de pandemia

O mundo é machista, mas quem mandam são elas

Gêmeos de Cuiabá são aprovados em três universidades federais

terça-feira, 20 de outubro de 2020

Funcionários dos Correios de MT cruzam braços a partir de hoje

Os servidores dos Correios de Mato Grosso aderiram à greve geral da categoria nesta quarta-feira (11) juntamente com restante do País. A paralisação total foi deflagrada em assembleias realizadas em todos os estados na noite de terça-feira (10).

De acordo com o diretor jurídico do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Mato Grosso (Sintect-MT), Alexandre Aragão, cerca de 600 mil correspondências deixarão de serem entregues somente neste primeiro dia de greve em todo o Estado.

O sindicalista disse que a principal reivindicação do movimento nacional é tentar barrar a privatização dos Correios. Segundo ele, inúmeros trabalhadores podem perder o emprego com a medida do Governo Federal.

“A principal reivindicação é a não privatização dos Correios, anunciada pelo Governo e que já está fazendo um estudo para a privatização. Caso ocorra a privatização, em 60 municípios de Mato Grosso as agencias são deficitárias. Então dificilmente a iniciativa privada ia manter esse serviço”, afirmou Aragão.

Ele explicou que essas agências menores não geram lucro suficiente e são mantidas por agências maiores. A função dessas agências é manter o “papel social de interligar pessoas”.

“Os Correios, como empresa nacional, funcionam com subsídio cruzado. Por exemplo, Cuiabá, que é superavitária, suporta manter uma agência em Santo Antônio do Leverger, que é deficitária porque não é o lucro pelo lucro. Nenhuma empresa privada vai ter interesse de manter uma agencia funcionando se ela não dá lucro”.

Outra pauta da greve é o reajuste salarial, que ocorre todo ano. O sindicalista afirmou que a proposta da empresa é aumentar em 0,8% o salário dos servidores. No entanto, iria retirar benefícios como vale-alimentação e a inclusão de pai e mãe no plano de saúde.

“Então ia dar 0,8% de reajuste e ia retirar, na somatória geral, quase 9% do poder de compra dos trabalhadores. Na verdade não era um reajuste”, relatou.

Aragão ainda revelou que desde 2011 os Correios não realizam concurso público. Esta é mais uma das exigências do movimento.

A negociação da paralisação geral será em nível nacional, mas Aragão disse que a direção dos Correios já espera pela privatização e, por isso, se nega a dialogar.

“A empresa simplesmente fechou as portas e não quer negociar. O reajuste era para ter acontecido em agosto, mas não negocia porque tem expectativa de privatizar”, disse.

Ao todo, existem 1.300 trabalhadores dos Correios no Estado. Deste número, 1.100 são filiados ao Sintect, que espera que todas as agências entrem em greve nos próximos dias.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Workshop voltado para profissionais de segurança abordará sobre ilícitos e fraude em combustíveis

Leia em seguida

Criança fica ferida após explosão de pólvora e munição em MT