Notícias de Última Hora :

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

terça-feira, 18 de maio de 2021

Projeto que prevê diminuição de vereadores é barrado nas comissões

O projeto de Lei dos vereadores Rodrigo da Zaeli (PSDB), Subtenente Guinâncio e Jailtoin Dantas, o Jailton do Pesque Pague, que previa a redução de 21 vereadores para 15 parlamentares, não vai ser votado e deve ser arquivado pela mesa diretora da Câmara de Vereadores, em razão de ter sido rejeitado em mais de uma comissão.

Para um projeto chegar a votação, ele não pode ter sido rejeitado por mais de uma comissão. Neste caso, a proposta não passou pela Comissão de Constituição e Justiça e pela Comissão de Finanças e Orçamento.

Diante da rejeição nas comissões a proposta deve ir a arquivo e poderá até mesmo ser apresentada com modificações, no ano que vem. No entanto, caso isso ocorra não teria efeito nas eleições de 2020. Pois para valer para o processo eleitoral a aprovação deveria ocorrer um ano antes das eleições.

Portanto, a Câmara de Vereadores, até 2024, caso não ocorra mudanças, vai continuar com 21 vereadores.

O polêmico assunto, esquentou a ordem do dia, na tarde desta terça-feira. Vereadores favoráveis e contrários ao projeto trocaram farpas durante a reunião. O presidente da casa, Cláudio da Farmácia teve que intervir para conter os ânimos e organizar as falas dos parlamentares.

O projeto, por outro lado, mesmo se conseguisse passar pelas comissões dificilmente seria aprovado pelo plenário. Um levantamento do Primeira Hora mostrava que a medida tinha apoio de apenas quatro dos 21 parlamentares. Além dos três vereadores que apresentaram o projeto, apenas o vereador Roni Magnani (PP) havia declarado apoio a medida.  O placar previsto seria de 16 a 4 votos, o presidente neste caso somente vota em caso de empate.

Ler Anterior

Morte de criança por envenenamento mostra despreparo médico em MT

Leia em seguida

Justiça determina que faca usada em atentado contra Bolsonaro vire item de museu