Notícias de Última Hora :

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

Fonoaudióloga de Cuiabá alerta sobre limpeza de aparelhos auditivos no período de pandemia

O mundo é machista, mas quem mandam são elas

Gêmeos de Cuiabá são aprovados em três universidades federais

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Rendida, defensora apertou “botão do pânico” e acionou a Polícia

Roubo à residência aconteceu nesta madrugada (27), em Sorriso; um ladrão conseguiu escapar

A defensora pública de Sorriso Luciana Decesaro Galleazi, de 47 anos, viveu momentos de terror na madrugada desta sexta-feira (27), quando teve a casa onde mora invadida por assaltantes.

A ação resultou em um confronto com a Polícia Militar, em que quatro dos criminosos morreram e um conseguiu fugir.

De acordo com o boletim de ocorrência, Luciana estava na casa com as duas filhas – de 17 e 10 anos –  e outras sete pessoas, quando o imóvel foi invadido. Ela conseguiu acionar o “botão do pânico” e alertar a empresa de monitoramento sobre o assalto.

Segundo o documento, um funcionário da empresa ligou na casa. Ao ser questionada sobre a contrassenha do botão de pânico, a defensora respondeu diferente do combinado, indicando que estava em perigo.

“Munido dessas informações, o Copom acionou as guarnições policiais, que deslocaram para a o local”, diz trecho do BO.

Na casa, um dos policiais militares conseguiu ver através de uma parede de vidro que havia uma pessoa apontando uma arma para um dos reféns do sexo masculino, e que havia outros três saindo do local com objetos nas mãos.

Os militares acionaram o interfone da residência e viram quando o assaltante armado pegou a defensora pública e, sob a mira do armamento, a obrigou a atender a porta.

Imediatamente um cerco foi montado ao redor da casa. Quando os ladrões perceberam a presença da Polícia Militar, tentaram fugir pulando o muro da casa.

Houve uma perseguição e, em seguida, o confronto que acabou com quatros assaltantes baleados.

Eles chegaram a ser socorridos pelo Corpo de Bombeiros da cidade, mas não resistiram aos ferimentos e morreram.

Duas armas usadas no crime pelos bandidos foram apreendidas, além de uma mochila contendo um notebook e a chave de um carro.

O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Deputado quer pedir à Justiça por novo depoimento de doleiro

Leia em seguida

STF manda Polícia Federal fazer buscas em endereços de Janot