Notícias de Última Hora :

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

quinta-feira, 16 de setembro de 2021

Mendes faz estudo e avalia apresentar reforma da Previdência

Governador diz que projeção aponta mais servidores inativos do que trabalhando já em 2022

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que aguarda o resultado de um estudo que está sendo elaborado pelo Executivo há alguns meses para saber se encaminha à Assembleia Legislativa um projeto de reforma da Previdência de Mato Grosso.

O assunto, considerado extremamente espinhoso, é uma das grandes preocupações do Governo, já que, a cada ano, a Previdência no Estado registra um déficit de cerca de R$ 1,3 bilhão.

Nesta semana, inclusive, o presidente da Assembleia Eduardo Botelho (DEM) cobrou que Mendes encaminhe o projeto aos parlamentares ao invés de aguardar uma definição por parte do Congresso Nacional.

Isto porque a reforma aprovada em âmbito nacional não incluiu a Previdência de estados e municípios. O Senado articula uma Proposta de Emenda à Constituição, a chamada PEC Paralela, para fazer tal inclusão. A proposta, no entanto, divide opiniões entre os senadores.

“Eu vi com muito bons olhos a declaração do presidente da Assembleia. Isso mostra a preocupação e a compreensão que ele tem da gravidade que é esse problema. Vamos falar agora do Estado de Mato Grosso. Para vocês terem uma ideia, por mês, entre aquilo que arrecada a Previdência de Mato Grosso, e aquilo que nós gastamos para pagar os aposentados e pensionistas, faltam R$ 115 milhões”, disse Mendes.

“Existem estudos que estão sendo feitos dentro do governo e eles devem chegar às minhas mãos nos próximos dias. E aí nós vamos decidir se vamos ficar aguardando o Congresso Nacional ou se nós iremos apresentar para um debate independente das decisões a serem tomadas em Brasília”, acrescentou o governador.

Bola de neve

Ao tratar do assunto, o governador ainda lembrou que, a cada mês, entre 200 e 300 servidores se aposentam no Estado de Mato Grosso.

As projeções, segundo ele, mostram que já a partir de 2022, Mato Grosso terá mais servidores inativos do que trabalhando.

“E eles vão continuar recebendo. E quem paga essa conta não é o Estado, quem paga é o cidadão, o contribuinte que vive no Estado. Todo mês eu tenho que usar dinheiro dos impostos, do ICMS da energia elétrica, para bancar o déficit mensal”, alertou Mendes.

“Então, se não tivermos responsabilidade e mudar essa realidade, cada dia mais todos vocês aqui, todo cidadão em Mato Grosso terá que trabalhar mais, pagar mais imposto, para que a gente possa pagar os aposentados e pensionistas. É uma dura equação que tem que ser enfrentada com responsabilidade, com debate sério e honesto. O problema existe e vai piorar se não fizermos nada”, concluiu o governador.

Ler Anterior

Entregador de bebidas mata homem durante festa em chácara

Leia em seguida

‘Taques deu ordem para destruir placas’, afirmam coronéis