Notícias de Última Hora :

Dia do fonoaudiólogo: entenda a importância desse profissional no ambiente hospitalar

Profissionalismo e dedicação marcam 20 anos de profissão da fonoaudióloga Samia Ribeiro

Chapa 2 Integração protocola pedido para que profissionais da contabilidade tenham férias fiscais em MT

Adrenalina, desafios e diversão te esperam no Halloween da Escape60, em Cuiabá

Encontro automobilístico “Esperienza” supermáquinas entra para o calendário de eventos em Mato Grosso

Experiência única de recreação e entretenimento: Conheça o Escape60′

Fotógrafo vem a MT para ensaios que levantam autoestima de mulheres

Aparelho auditivo com “modo máscara” é alternativa que possibilita a comunicação com a proteção facial

Professora da UFMT recebe moção de aplausos em homenagem ao Dia do Contador

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

MPF denuncia chefe da Casa Civil e Eder por lavagem de dinheiro

Procuradora diz que valores de esquema foram usados para pagar empréstimo da São Tadeu Energética com banco

O Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso denunciou o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e o ex-secretário de Estado Eder Moraes, pelo crime de lavagem de dinheiro.

A denúncia, feita pela procuradora da República Vanessa Scarmagnani, tem como base repasses de valores que totalizaram R$ 788.500,00, feitos em 2010 pela Globo Fomento Ltda., do delator da Ararath Gércio Marcelino Mendonça Júnior, à empresa São Tadeu Energética S/A, que tem Mauro Carvalho como sócio.

O dinheiro foi usado para pagar um empréstimo feito pela São Tadeu com o BicBanco. O ex-governador Maggi é citado como eventual devedor solidário, já que avalizou um dos empréstimos à empresa.

Segundo a procuradora, Eder Moraes – que liderava um sistema financeiro paralelo, durante 2005 e 2013, nas gestões dos ex-governadores Blairo Maggi e Silval Barbosa -, foi quem determinou os repasses das empresas de Mendonça Júnior para a São Tadeu.

Para o MPF, o dinheiro transferido à empresa de Carvalho teve origem ilícita, de vários esquemas operados por Eder, e “serviram para ocultar e dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação e propriedade da quantia de R$ 788.500,00”.

O dinheiro, diz a procuradora da República, foi proveniente da infração penal antecedente dos crimes contra a administração pública e contra o Sistema Financeiro Nacional, que foram praticados pelo denunciado Eder Moraes em concurso com outros agentes.

Declarações à PF

Em depoimento à Polícia Federal, em maio de 2014, o secretário-chefe da Casa Civil disse que pegou, de fato, um empréstimo com Júnior Mendonça no valor aproximado de R$ 400.000,00, para quitar uma dívida com o BicBanco.

Eder Moraes e Blairo Maggi

Segundo ele, entre dez e quinze dias depois, o valor de R$ 388.500,00 foi pago em espécie, a Mendonça Júnior.

À PF, Carvalho disse que não houve nenhuma outra transação entre Mendonça e a São Tadeu Energética.

O MPF diz que Mendonça não confirmou essa versão, e que os valores repassados foram provenientes do sistema conta-corrente mantido por ele e Eder Moraes.

Na denúncia, a procuradora Vanessa Scarmagnani diz que ficou demonstrado que Eder Moraes, Mauro Carvalho e Mendonça Júnior, mediante empresas e “negócios simulados” (supostos empréstimos contraídos), bem como mediante a utilização de títulos de créditos (cheques e notas promissórias), ocultaram e dissimularam a natureza, a movimentação e a propriedade de valores provenientes de infrações penais.

Outro lado

Em contato com a reportagem, Mauro Carvalho disse que seus advogados ainda não tiveram conhecimento da denúncia. E que eles irão se posicionar tão logo se inteirem dos fatos.

O ex-secretário Eder Moraes, já condenado por diversos crimes, considerou a denúncia “esdrúxula” e afirmou que nunca realizou nenhum negócio com o secretário Mauro Carvalho.

Ler Anterior

Mulher é presa com carro roubado e oferece sexo para ser solta

Leia em seguida

Mendes: “Não vamos mudar o País se o Congresso se acovardar”