Notícias de Última Hora :

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

Fonoaudióloga de Cuiabá alerta sobre limpeza de aparelhos auditivos no período de pandemia

O mundo é machista, mas quem mandam são elas

Gêmeos de Cuiabá são aprovados em três universidades federais

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Na tribuna, vereador chora e afirma que é vítima de perseguição

“O que estão fazendo é uma covardia comigo e com minha família”, disse Adevair Cabral

O vereador Adevair Cabral (PSDB) se defendeu, durante a sessão plenária da manhã desta terça-feira (5), das acusações de assédio sexual feitas contra ele por uma ex-servidora da secretaria de Saúde da Capital.

Contra o tucano, ainda pesa uma investigação que corre no Ministério Público Estadual (MPE) de Várzea Grande pela suspeita de corrupção de menores, exploração sexual de menores e favorecimento à prostituição.

Em discurso na tribuna, Adevair Cabral disse, chorando, que está sendo vítima de “perseguição política”. Isso porque a notícia de assédio veio a público na semana passada, após o próprio vereador registrar um boletim de ocorrência por difamação contra o colega Abílio Brunini (PSC) que, segundo ele, estaria divulgando uma foto sua em uma cama.

“Não quero atacar nenhum vereador, nem meus inimigos que estão atacando minha honra, que estão atacando minha família e que tentam jogar meu nome na lama. Quero esclarecer que estou sendo vítima de uma grande perseguição política”, disse Adevair.

“Estou no terceiro mandato, não sou corrupto, não malversei dinheiro público. Como não há nada que pese contra mim nesse sentido, estão expondo de maneira covarde e mentirosa minha vida pessoal e de minha família. O que estão fazendo comigo é covardia”, emendou.

Adevair ainda disse que, de todos os fatos noticiados contra ele, o que gera mais “dor” é o que o aponta em uma investigação aberta em 2017 no MPE, pela suspeita de exploração sexual de menores e favorecimento à prostituição.

“O que me pesou foi a denúncia contra menores”, disse o vereador chorando. “Que crime eu cometi? Deus está do meu lado. Covardia é o que estão fazendo comigo e com a minha família”, completou.

Após a fala, o vereador pediu desculpas e deixou a tribuna.

Entenda o caso

Na semana passada, Adevair registrou um boletim de ocorrência contra Abílio. Conforme o relato do próprio parlamentar, Abílio teria uma foto na qual o tucano aparece deitado em uma cama, sem detalhar em que circunstância.

Após o fato, Abílio veio a público e relatou que a foto, na verdade, se tratava de um “nude” que Adevair teria mandado para uma servidora da Saúde há pouco mais de um ano. A mulher teria lhe dito que o vereador lhe mandou fotos íntimas por meio do WhatsApp e a perseguiu após ela recusar suas investidas.

Ainda na semana passada, uma ação do MPE contra o tucano veio à tona pela suspeita de corrupção de menores, exploração sexual de menores e favorecimento à prostituição.

A denúncia foi feita de maneira anônima em agosto de 2017 e é analisada pela 5ª Promotoria de Justiça Criminal de Várzea Grande. Além do vereador, ainda foram acusados mais uma pessoa e um clube de servidores em Cuiabá.

 

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Polícia invade churrasco e prende acusado de pistolagem em MT

Leia em seguida

José Medeiros pede a Moro que federalize caso Celso Daniel