Notícias de Última Hora :

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

Fonoaudióloga de Cuiabá alerta sobre limpeza de aparelhos auditivos no período de pandemia

O mundo é machista, mas quem mandam são elas

Gêmeos de Cuiabá são aprovados em três universidades federais

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Taques deve adotar manobra para tentar fugir da Justiça comum

O ex-governador pode se beneficiar de brecha, confirmada pelo STF, para ser julgado na Justiça Eleitoral

O ex-procurador da República e ex-governador Pedro Taques (PSDB), acusado de ser um dos líderes do esquema de escutas clandestinas que vigorou em Mato Grosso desde 2014, conhecido como Grampolândia Pantaneira, deve adotar uma manobra para tentar fugir da Justiça comum.

Pelo fato das escutas terem sido colocadas em prática durante as eleições de 2014, e ter vigorado por pelo menos mais um ano, Taques deve pedir formalmente que o caso vá para a Justiça Eleitoral.

A manobra, vergonhosa, só será possível porque o STF confirmou, em março deste ano, a jurisprudência no sentido da competência da Justiça Eleitoral para processar e julgar crimes comuns que apresentam conexão com crimes eleitorais.

Apesar da tentativa de “amenizar” a possível punição pelo eventual crime, o MPE defendeu, em audiência nesta quarta-feira (6), que Pedro e Paulo Taques, ex-chefe da Casa Civil, sejam  responsabilizados pelos grampos na Justiça comum.

“É como se desse uma carta de alforria e licença para matar depois de algo tão tenebroso que chocou a todos. Eu espero que o senhor governador Pedro Taques, e seu primo Paulo Taques, sejam devidamente responsabilizados sobre o crime. A lei tem que ser para todos. Doa a quem doer”, afirmou.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Homem leva tiro no peito após discussão por cigarro com vizinho

Leia em seguida

Golpista cria perfil falso de primeira-dama e pede dinheiro