Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Janaina pede absolvição de policiais e condenação de Taques

Julgamento de oficiais da Polícia Militar começou na quarta-feira, no Fórum de Cuiabá

A deputada estadual Janaina Riva (MDB) defendeu que os policiais militares acusados de integrar um esquema de escutas clandestinas que funcionou no Estado entre os anos de 2014 e 2015 sejam absolvidos ou tenham as penas reduzidas.

A deputada, que estava entre os alvos da chamada “Grampolândia Pantaneira”, defendeu que o ex-governador Pedro Taques (PSDB) seja o condenado no caso. Ela acusou o tucano de usar o esquema para cometer abusos na eleição e durante o seu mandato, com perseguição, chantagens e extorsão.

O julgamento dos acusados na esfera militar começou na última quarta-feira (6) e deve se encerrar até esta sexta-feira (08). São réus o ex-comandante da Polícia Militar, coronel Zaqueu Barbosa; os coronéis Evandro Alexandre Lesco e Ronelson Barros, ex-chefe e ex-adjunto da Casa Militar, respectivamente; o tenente-coronel Januário Batista e o cabo Gerson Corrêa Junior.

Até o momento, o promotor de Justiça Allan Sidney do Ó Souza defendeu a condenação de três acusados – Zaqueu, Lesco e Gerson – e a absolvição dos outros dois.

“Eu não guardo essa mágoa. O que aconteceu, o prejuízo que isso me trouxe, não me faz levar essa mágoa nenhum dia para minha cama. A gente não precisa correr atrás de prejudicar as pessoas. Por isso, gostaria muito de vê-los de volta a seus postos de trabalho. E que eles pudessem aprender uma lição de tudo isso que aconteceu. E aquele que de fato mandou e ordenou que pague por esses crimes tão prejudiciais à vida de cada um de nós”, disse ela durante sessão desta quinta-feira

“Houve abuso na eleição, houve abuso durante o Governo Pedro Taques. Ele trouxe terror para esta Casa. Criou-se uma Assembleia temerosa, que vivia com medo das ações do ex-governador, que era perseguidor, chantagista, ‘extorquidor’. É isso que gostaria de dizer. Que por mim, eles não sofreriam uma sanção do tamanho que pediu o Ministério Público. Respeito muito o doutor Allan [promotor]. Mas por minha parte não é eles que quero ver pagando por este crime”, acrescentou.

Janaina afirmou que os policiais estavam, apenas, cumprindo ordens do chefe do Executivo.

Para ela, enquanto os coronéis e cabos estão respondendo à ação penal, Taques está livre no processo.

A deputada disse que deve protocolar ainda nesta quinta um pedido de absolvição ou redução da pena, mesmo com o processo já na fase de julgamento.

“Gostaria que os outros três réus que não tiveram o perdão ou direito a redução da pena que fossem beneficiados também. Acredito que por terem admitido, mesmo que de forma unilateral, se arrependido a posterior, deveriam ter o direito. Não adianta guardar mágoa, rancor, daquilo que já passou a ponto de que essas pessoas podem perder a sua estabilidade, perder a sua aposentadoria. Sabendo que os militares são criados, desde a sua formação, para serem obedientes”, afirmou.

“E eu não tenho dúvida de que não só esses três, mas todos os que participaram da Grampolândia são pessoas que foram ordenadas a fazerem isso pelo seu chefe maior, que era o ex-governador Pedro Taques. Esse, sim, tinha que estar respondendo o processo. É fácil pegar só o pequeno, enquanto o ex-governador Pedro Taques está livre, tranquilo. E essas pessoas correndo risco de perder tudo aquilo que conquistaram”, completou.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Havan anuncia boicote à Globo: “Jornalismo ideológico”

Leia em seguida

Maluf cita projetos que “preocupam” TCE e quer ser ouvido na AL