Notícias de Última Hora :

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

Fonoaudióloga de Cuiabá alerta sobre limpeza de aparelhos auditivos no período de pandemia

O mundo é machista, mas quem mandam são elas

Gêmeos de Cuiabá são aprovados em três universidades federais

sábado, 24 de outubro de 2020

Homem é condenado a 31 anos por feminicídio e ocultação de cadáver

Ainda cabe recurso da decisão, porém está mantida a prisão preventiva do réu

Joanias Ribeiro da Silva foi condenado nesta sexta-feira (08) a 31 anos e quatro meses de reclusão pelos crimes de homicídio qualificado da companheira Cristina Pereira dos Santos e ocultação de cadáver, em sessão do Tribunal do Júri na comarca de São José do Rio Claro (a 315 km de Cuiabá).

O promotor de Justiça Luiz Fernando Rossi Pipino foi o responsável pela acusação no julgamento. Ele defendeu a tese de homicídio impulsionado por motivação torpe, mediante meio cruel, com recurso que dificultou a defesa da vítima e por razões da condição de sexo feminino que envolve violência doméstica e familiar (feminicídio).

O Conselho de Sentença reconheceu a materialidade e autoria do réu, e condenou-o conforme argumentação do membro do Ministério Público do Estado de Mato Grosso. Foi estabelecido o regime inicialmente fechado para o cumprimento da pena. Ainda cabe recurso da decisão, porém está mantida a prisão preventiva do réu.

Na sentença, a juíza Cristhiane Trombini Puia Baggio considerou ter sido um “crime bárbaro que causou comoção social e ainda repercute no seio da comunidade com uma força expressiva, conforme a repulsa que as próprias testemunhas deixaram entrever. Violência extremada, em ato de crueldade reconhecido pelo nobre Conselho de Sentença”.

Conforme a denúncia do MPMT, o crime ocorreu em abril de 2015, nas dependências da residência do então casal, na região central da cidade. Joanias Ribeiro da Silva e Cristina Pereira dos Santos viviam em união estável por cerca de dois anos e a relação era bastante conturbada, muito por conta da agressividade e do sentimento egoístico de posse que nutria o denunciado pela vítima.

De acordo com Luiz Fernando Pipino, depois de ter assassinado a companheira, o acusado tentou limpar as manchas e as marcas de sangue derramadas no quarto da residência, ensacou o corpo da vítima, colocou o cadáver no porta-malas de seu veículo e deslocou-se pela estrada que liga São José do Rio Claro ao Assentamento PA Campinas, tendo ocultado o cadáver da ofendida em local de mata fechada. Após, Joanias fugiu e permaneceu foragido da Justiça por mais de dois até ser capturado na cidade de Caarapó-MS.


0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Último dia de Enem tem aglomeração e trânsito lento em Cuiabá

Leia em seguida

Prefeita arremata as 3 fazendas do ex-governador Silval Barbosa