Notícias de Última Hora :

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Mendes sinaliza aposentadoria aos 65 anos e teto de R$ 5 mil

Governador ainda aguarda estudo sobre o MTPrev, mas adianta que “números são assustadores”

O governador Mauro Mendes (DEM) sinalizou que o texto de uma eventual reforma da Previdência para o funcionalismo público de Mato Grosso deve passar pela fixação de um teto de R$ 5 mil nos benefícios e idade mínima de 65 anos.

Segundo Mendes, os estudos relativos à Previdência do Estado ainda estão sendo realizados e devem ser concluídos nos próximos dias.

De todo modo, ele disse não concordar com situações ocorridas em Mato Grosso, entre as quais, pessoas se aposentando com menos de 45 anos e vencimentos que passam de R$ 30 mil.

“Os números são assustadores daquilo que é a realidade hoje do déficit da Previdência no Estado. Só para vocês terem ideia, mais de duas mil pessoas se aposentaram em Mato Grosso com menos de 45 anos de idade. Enquanto hoje, um servidor federal e um servidor da iniciativa privada têm que esperar chegar aos 65 anos de idade”, disse.

“Além disso, temos mais de duas mil pessoas que se aposentam com salário em torno de R$ 30 mil. Então é uma diferença muito grande”, emendou o governador.

Segundo ele, assim que concluídos os estudos, o assunto deverá ser debatido com os deputados estaduais.

O próprio presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), vem cobrado de Mendes um projeto para tratar do assunto, já que a reforma aprovada em âmbito nacional não incluiu a Previdência de estados e municípios.

O Senado articula uma Proposta de Emenda à Constituição, a chamada PEC Paralela, para fazer tal inclusão. A proposta, no entanto, divide opiniões entre os senadores e ainda terá que passar pela Câmara Federal.

“Vamos abrir esse debate nas próximas semanas com a Assembleia Legislativa para que possamos corrigir essa distorção e dar ao servidor de Mato Grosso a mesma regra do servidor federal e a mesma regra de todo trabalhador da iniciativa privada”, concluiu Mendes.

Rombo

O assunto, considerado extremamente espinhoso, é uma das grandes preocupações do Governo, já que, a cada ano, a Previdência no Estado registra um déficit de cerca de R$ 1,3 bilhão.

Segundo o governador, a cada mês, entre 200 e 300 servidores se aposentam no Estado de Mato Grosso.

As projeções, segundo ele, mostram que já a partir de 2022, Mato Grosso terá mais servidores inativos do que trabalhando.

 

Ler Anterior

Saída de Bolsonaro e criação de nova sigla geram impasse em MT

Leia em seguida

Prefeitura investe no turismo