Notícias de Última Hora :

Dia do fonoaudiólogo: entenda a importância desse profissional no ambiente hospitalar

Profissionalismo e dedicação marcam 20 anos de profissão da fonoaudióloga Samia Ribeiro

Chapa 2 Integração protocola pedido para que profissionais da contabilidade tenham férias fiscais em MT

Adrenalina, desafios e diversão te esperam no Halloween da Escape60, em Cuiabá

Encontro automobilístico “Esperienza” supermáquinas entra para o calendário de eventos em Mato Grosso

Experiência única de recreação e entretenimento: Conheça o Escape60′

Fotógrafo vem a MT para ensaios que levantam autoestima de mulheres

Aparelho auditivo com “modo máscara” é alternativa que possibilita a comunicação com a proteção facial

Professora da UFMT recebe moção de aplausos em homenagem ao Dia do Contador

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

Sem reforma, MT terá que elevar ICMS da energia e combustível

Governo apresentou cenários que podem ocorrer caso a Reforma da Previdência não seja aprovada

O governador Mauro Mendes (DEM) traçou cenários em que o Executivo terá que tomar uma série de medidas amargas caso não consiga aprovar na Assembleia Legislativa a Reforma da Previdência.

Entre as medidas a serem adotadas, seria necessário aumentar o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do combustível e da energia elétrica, além de criar um novo Fethab (Fundo Estadual de Transporte e Habitação).

Os dados foram apresentados durante reunião do Conselho da Previdência, na última quarta-feira (13), quando os membros analisaram a minuta – uma espécie de rascunho – do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) da Reforma da Previdência para o funcionalismo público de Mato Grosso.

Segundo Mendes, a reforma é necessária pois o rombo de 2019 foi de R$ 1,3 bilhão com tendência de crescimento.

Nos últimos 4 anos a idade média de aposentadoria foi de 56 anos. Mais de 2 mil servidores estão aposentados com menos de 45 anos. O tempo médio de duração da aposentadoria tem chegado a 28 anos. Por conta disso, até 2023, Mato Grosso terá mais inativos do que servidores trabalhando.

Já em 2021, o déficit da Previdência acumulado ao longo dos anos chegará a R$ 3,2 bilhões. Segundo o democrata, até 2029 o acumulado será de R$ 31,1 bilhões.

 

 

Se nada for feito, o governador afirmou que o chefe do Executivo terá que tomar medidas mais drásticas. Entre elas, o aumento de impostos aos cidadãos.

 

Mendes citou que seria necessário aumentar 202,93% da alíquota no ICMS dos combustíveis até 2029 e 400,31%, no mesmo período da alíquota no ICMS da energia.

 

Outro setor que seria atingido é da agropecuária. O Governo teria que criar um novo Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), com aumento acumulado da alíquota em 352,45% ao final de 2029.

 

Ainda no cenário sem a Reforma da Previdência, Mendes disse que teria que cortar custeio e investimentos nos próximos 10 anos.

 

A previsão seria de zerar investimentos da Secretaria de Estado Infraestrutura, como construção de estradas, pontes, manutenção de rodovias, na ordem de R$ 17,6 bilhões.

 

Corte total com o setor de transporte da Secretaria de Segurança, como viaturas e combustível, e alimentação de presos, totalizando R$ 2,7 bilhões.

 

E, por fim, o congelamento dos orçamentos dos seis poderes e órgãos autônomos do Estado até 2029. O valor deste contingenciamento chegaria a R$ 4,9 bilhões.

 

Segundo ele, mesmo com todos esses cortes não seria possível zerar o déficit previdenciário.

 

 

Déficit mesmo com a reforma

 

Os dados apresentados por Mendes mostram que mesmo com a Reforma da Previdência haverá um déficit no MT Prev até 2029.

 

De acordo com os dados, a medida vai gerar um valor de R$ 25 bilhões acumulados ao longo dos próximos dez anos. Desta forma, já em 2020, será possível zerar o rombo financeiro do sistema previdenciário de Mato Grosso.

 

Entretanto, como o número de aposentados deve superar o de servidores em atividade até 2023, a Previdência voltará a apresentar déficit acumulado de R$ 6 bilhões em 2029. Sem a reforma, o montante chegaria a R$ 31 bilhões em 10 anos.

 

Ler Anterior

Empresário oferece “cafezinho” a PMs em abordagem e é preso

Leia em seguida

TRF-4 anula sentença por “copia e cola” de juíza que condenou Lula