Notícias de Última Hora :

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Ex-secretários de Silval dizem que empresário ofereceu propina

Empresa de Jandir Milan ganhou mais de R$ 34 milhões em contratos com a Secretaria de Administração

O empresário Jandir Milan, dono da Ábaco Tecnologia da Informação e ex-presidente da Fiemt (Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso), oferecia “facultativa” e “espontaneamente” o pagamento de propina aos gestores da Secretaria de Estado de Administrativa (SAD) para manter contratos com a Pasta.

A acusação foi feita pelos ex-secretários César Zílio e Pedro Elias, que atuaram no Governo Silval Barbosa, no bojo de uma ação policial que deu origem a uma ação civil pública do Ministério Público Estadual (MPE) por improbidade administrativa.

Além do empresário e os ex-secretários, também são alvos da ação, o ex-secretário-adjunto José Nunes Cordeiro e o servidor Bruno Sampaio Saldanha.

A Ábaco ganhou vários processos licitatórios na SAD, entre 2011 e 2013, no valor total de R$ 34,1 milhões para prestar serviço de mão de obra em tecnologia da informação. Segundo MPE, os processos foram fraudados mediante direcionamento e os preços, superfaturados para possibilitar o pagamento de propina aos gestores.

“De acordo com César Roberto Zílio e Pedro Elias Domingos de Melo em declarações prestadas no bojo do Inquérito Policial, Jandir Milan, proprietário da empresa Ábaco Tecnologia da Informação Ltda., facultativa e espontaneamente ofereceu o pagamento de propina aos gestores da Secretaria de Administração para que os pagamentos do Governo com a empresa não sofressem atrasos, bem assim, para que a parceria existente continuasse”, diz trecho da ação.

 

Propina no banheiro

 

César Zilio afirmou que quando assumiu a Secretaria, em 2011, foi procurado por Jandir Milan que lhe pediu para que os pagamentos do contrato não sofresse atraso. O ex-secretário disse que entendeu que Jandir  falava em retorno, mas não houve acerto de valores.

 

“Que o pagamento da propina aconteceu na sequência, sempre de forma aleatória e voluntária por parte de Jandir; Que Jandir ia até a SAD, sem avisar, sem regularidade, levando ao interrogando as propinas em dinheiro; Que Jandir sempre entrava na sala do interrogando e se dirigia até o banheiro, deixando dentro um envelope grande, em espécie, os valores pagos a título de propina feito por Jandir Milan”, disse César Zílio.

 

Pedro Elias também disse que foi procurado por Jandir Milan  assim que assumiu a Secretaria de Administração, em 2014. Naquela época, segundo o ex-secretário, foi constatado que os contratos com a Ábaco estavam com valores muito altos. Para que a SAD não reduzisse os valores, segundo Pedro Elias, o empresário lhe  ofereceu o pagamento de propina mensal de R$ 20 mil.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Sindicatos anunciam greve na Petrobras a partir de segunda

Leia em seguida

Doação de órgãos de Gugu deve beneficiar 50 pacientes