Notícias de Última Hora :

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Número vem de 38º presidente, e não de arma, diz Bolsonaro

Aliança pelo Brasil recebeu uma obra feita de cartuchos de bala com seu nome e símbolo

O presidente Jair Bolsonaro negou neste sábado (23) que o número eleitoral 38 escolhido para o partido que pretende criar, Aliança pelo Brasil, tenha relação com o calibre de revólver. Ele disse que a opção se refere à sua posição no cargo.

“Trigésimo oitavo presidente da república. Se alguém quer associar às armas, vão pegar o 12 do PDT, calibre 12, 45 [do PSDB] e outros números que tem por aí”, respondeu ao ser questionado pela imprensa durante um evento na Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército, da qual já fez parte, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Ele havia anunciado o número em suas redes sociais na última quinta (21), quando a legenda foi lançada em convenção em Brasília. “Tínhamos poucas opções e acho que o 38 é o mais fácil de gravar”, afirmou durante uma live, na qual não fez a associação do número com o calibre.

 

No evento de apresentação, a Aliança pelo Brasil recebeu uma obra feita de cartuchos de bala com seu nome e símbolo. A sigla, que ainda vive incertezas sobre a sua viabilidade, tem um forte apelo à defesa do porte de armas e ao discurso de cunho religioso.

 

No evento deste sábado, Bolsonaro também afirmou que “nunca o Brasil viveu numa normalidade democrática como vivemos no momento”, ao ser questionado sobre como vê os protestos que têm tomado conta de países sul-americanos como Bolívia, Chile e Colômbia.

 

Ele disse não ter motivos para que esses movimentos cheguem ao Brasil e voltou a chamar as manifestações de atos de terrorismo. “Pelo menos pelo que eu estou vendo em alguns países, há um excesso. Pelo menos no Chile. Aquilo não são manifestações, são atos de terrorismo”, declarou.

 

Ele se recusou a comentar alguns assuntos. Um deles foi a terceira investigação contra seu filho Flávio Bolsonaro aberta pelo Ministério Público do Rio, divulgada nesta sexta (22), para investigar denúncias de irregularidades no gabinete do então deputado estadual. “Pergunta para quem está investigando”, respondeu.

 

Outro foi a sondagem do PSL ao governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), depois que o presidente resolveu deixar a sigla. Segundo o jornal O Globo, o ex-juiz recebeu representantes do partido na última terça (19). “Não falo mais do PSL, estou sem partido no momento”, disse Bolsonaro.

 

O terceiro assunto evitado foi a situação do ex-presidente Lula: “Eu não falo sobre presos, quem fala são os juízes e as autoridades”, disse, após participar de uma cerimônia que comemorou os 74 anos de criação brigada paraquedista e homenageou os militares que estão completando 25 ou 50 anos de formados.

 

O presidente estava acompanhado dos generais e ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), além do prefeito carioca, Marcelo Crivella (PRB).

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Humorista faz sucesso na internet com linguajar cuiabano

Leia em seguida

PM desmonta esquema e apreende R$ 25 mil em notas falsas em MT