Notícias de Última Hora :

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

Fonoaudióloga de Cuiabá alerta sobre limpeza de aparelhos auditivos no período de pandemia

O mundo é machista, mas quem mandam são elas

Gêmeos de Cuiabá são aprovados em três universidades federais

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

MT vai usar dinheiro recuperado da corrupção para concluir obra

Governador Mauro Mendes anunciou o reinício da construção de duas unidades de saúde na Capital

O governador Mauro Mendes (DEM) anunciou, nesta segunda-feira (25), que parte dos recursos necessários para a retomada e conclusão das obras do Hospital Central de Cuiabá virá do dinheiro recuperado com o combate à corrupção no Estado.

A informação foi dada durante o evento em que o democrata apresentou o projeto para a retomada das obras de duas grandes unidades de saúde na Capital: o Hospital Central e o Hospital Universitário Júlio Muller.

“Grande parte do recurso virá de uma parceria que já estabelecemos com o Ministério Público do Estado. Esse dinheiro será arrecado e recuperado do combate à corrupção e será destinado à construção desse hospital”, disse o governador.

Conforme o Executivo, o projeto do Hospital Central será executado pela Secretaria de Estado de Saúde. A obra está orçada em R$ 135 milhões, com mais R$ 100 milhões previstos para a aquisição de equipamentos.

Segundo Mendes, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) já abriu uma conta bancária que já tem R$ 6 milhões, com outros R$ 40 milhões já programados para serem depositados.

“Nessa conta já tem mais de R$ 6 milhões entregues pela Controladoria Geral do Estado [CGE]. Já temos um termo de acordo assinado que depositará agora em novembro mais R$ 20 milhões, e em setembro de 2020 mais R$ 20 milhões. Então, começamos com R$ 46 milhões nesta conta só de dinheiro recuperado de combate à corrupção, feita pelos órgãos de controle”, afirmou.

 

Mendes afirmou que, além do MPE e da CGE, o Ministério Público Federal (MPF) também se comprometeu com a destinação de recursos.

 

Estrutura do Hospital Central

 

Em seu discurso, Mendes revelou que há muita desinformação quanto se trata da estrutura do prédio do Hospital Central. A obra, que fica no Centro Político Administrativo da Capital, já passou por diversas auditorias e, segundo o governador, a estrutura está em perfeita ordem.

 

“Muitas pessoas dizem por aí: ‘Mas uma estrutura de 30 anos atrás, será que presta?’. As pessoas que falam isso nem sabem onde fica o Hospital Central. No Brasil é assim: tem palpiteiro de plantão sobre tudo, sem conhecer absolutamente nada”.

 

“Temos um laudo, de um profissional especializado que foi contratado na administração anterior, e nós nos valemos dele – eu pessoalmente estive lá. E é incrível ver como a estrutura do prédio está perfeitamente intacta e poderá ser adaptada”, afirmou.

 

Segundo Mendes, há uma área de 9 mil metros quadrados já edificados e que serão aproveitados. “Claro, serão necessárias algumas adequações”, disse.

 

A expectativa é de que até o mês de janeiro o Executivo apresente a licitação para a retomada da obra.

 

Dados das obras

 

Para o Hospital Universitário Júlio Müller, segundo o secretário de Estado de Infraestrutura Marcelo Oliveira, o Governo já tem em caixa R$ 96 milhões e aguarda apenas a aprovação da Procuradoria Geral do Estado para abrir licitação para a retomada. “O Governo do Estado já aportou R$ 10 milhões no orçamento, e para o ano que vem já temos o orçamento planejado dentro da Sinfra”, disse Oliveira, sem revelar o valor destinado pela Pasta.

 

A unidade da saúde, quando concluída, terá 58 mil metros quadrados de área construída. Terá 12 centros cirúrgicos, sendo três pediátricos, três gastrointestinais e seis para cirurgia geral.

 

Serão 228 leitos de internação, 68 leitos de repouso, 63 leitos de UTI, sendo 25 adultos, 18 pediátricos e 20 neonatal.

 

O HUJM constará ainda com 85 consultórios; 45 salas de exame, 21 bancos de sangue e triagem, e 53 salas administrativas.

 

O Hospital Universitário Júlio Müller, feito em uma parceria entre o Governo do Estado e o Ministério da Educação, está com as obras paralisadas desde 2014, dois anos após seu  início. A paralisação foi motivada por falhas do consórcio vencedor da licitação, que teve o contrato rescindido por não cumprimento do cronograma. Na época, a unidade estava orçada em R$ 116 milhões, divididos em partes iguais pela União e Estado.

 

Já o Hospital Central, com obras paralisadas há 34 anos, contará com área construída de 32 mil metros quadrados. Dessas, segundo o Executivo, 23 mil metros quadrados serão destinados para o bloco central – hoje em ruínas.

 

“Ele será edificado e será feita a correção de infraestrutura necessária. Estima-se que esse hospital em sua capacidade plena será capaz de ofertar 1.990 internações, 652 atividades cirúrgicas, três mil consultas especializadas, e 1.400 exames em geral por mês”, disse o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Bandido é morto após apontar arma para PMs dentro de escola

Leia em seguida

MPE aciona filho de Silval e mais 4 e pede bloqueio de R$ 2,4 mi