Notícias de Última Hora :

Atleta olímpico participa de jogo de fuga em Cuiabá

Dia do fonoaudiólogo: entenda a importância desse profissional no ambiente hospitalar

Profissionalismo e dedicação marcam 20 anos de profissão da fonoaudióloga Samia Ribeiro

Chapa 2 Integração protocola pedido para que profissionais da contabilidade tenham férias fiscais em MT

Adrenalina, desafios e diversão te esperam no Halloween da Escape60, em Cuiabá

Encontro automobilístico “Esperienza” supermáquinas entra para o calendário de eventos em Mato Grosso

Experiência única de recreação e entretenimento: Conheça o Escape60′

Fotógrafo vem a MT para ensaios que levantam autoestima de mulheres

Aparelho auditivo com “modo máscara” é alternativa que possibilita a comunicação com a proteção facial

Professora da UFMT recebe moção de aplausos em homenagem ao Dia do Contador

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Feminista: time passa mensagem de que feminicídio é tolerado

Clube confirmou interesse em contratar goleiro condenado a mais de 20 anos por matar a ex-namorada

A militante feminista Lélica Pereira de Lacerda avalia que uma eventual contratação do goleiro Bruno Fernandes – condenado pelo assassinato de Eliza Samudio – pelo Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense, é um recado de que “o feminicídio tem respaldo em Mato Grosso”.

Entre janeiro e dezembro de 2019, Mato Grosso registrou 42 casos de feminicídio, de acordo com dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).

“Essa contratação é uma violência simbólica e um aviso para as mulheres de que a violência contra a mulher é tolerada”, disse Lélica, que é professora de Serviço Social da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Para Lélica, que atua na Frente Única Mulheres na Luta, a mensagem que o Operário passa para as mato-grossenses é de que elas podem ser mortas brutalmente e isso não será visto como um problema.

 

“Eu entendo isso como uma violência simbólica. Mato Grosso é um lugar que é uma carnificina contra as mulheres. […] Acho que isso de alguma maneira encoraja esses homens, é um recado. Você pode ser preso, mas saindo você terá um respaldo”, disse.

 

Por meio de nota, o time confirmou ter interesse na contratação do goleiro, mas disse que ainda não há nada definido. No entanto, o clube diz que aposta na ressocialização do jogador dando uma segunda chance para ele.

 

Apesar disso, a professora questiona a justificativa do Operário e a considera frágil. Segundo ela, o sistema penitenciário não trabalhou para que houvesse real mudança de comportamento e conduta de Bruno.

 

“Nós praticamos um feminismo que é contra o sistema punitivista. Muito provavelmente, sendo um homem negro, ele foi para um sistema penitenciário onde foi punido. Não houve um trabalho de ressocialização e reeducação para rever e ressignificar os valores desse homem, que foi socializado para ser um homem viril, um homem bruto, a ponto de se considerar dono do corpo da companheira, assassiná-la e desfazer o corpo brutalmente”, explicou a militante.

 

Lélica sugere que, se o Operário realmente tem a intenção promover a ressocialização do jogador, também deve apoiar a igualdade de gênero na sua torcida e mulheres que são vítimas de violência.

 

“Se o clube não quer ser taxado como machista, que apoia quem comete feminicídio, então que também crie campanhas para promover igualdade de gênero entre as torcidas, que o clube apoie iniciativas de casas de apoio a vítimas de violência, que apoie também as mulheres que são vítimas do patriarcado”, defendeu.

Lélica Pereira de Lacerda

O goleiro Bruno foi condenado a mais de 20 anos de prisão pelo sequestro, assassinato e ocultação do cadáver de Eliza Samudio, sua ex-namorada.

Ele chegou a ficar nove anos preso, mas saiu em julho de 2019 após conseguir na Justiça a progressão de regime para o semiaberto.

Ler Anterior

Sem acordo com a Globo, Flamengo

Leia em seguida

Garota é estuprada por amigo de namorado enquanto dormia