Notícias de Última Hora :

Atleta olímpico participa de jogo de fuga em Cuiabá

Dia do fonoaudiólogo: entenda a importância desse profissional no ambiente hospitalar

Profissionalismo e dedicação marcam 20 anos de profissão da fonoaudióloga Samia Ribeiro

Chapa 2 Integração protocola pedido para que profissionais da contabilidade tenham férias fiscais em MT

Adrenalina, desafios e diversão te esperam no Halloween da Escape60, em Cuiabá

Encontro automobilístico “Esperienza” supermáquinas entra para o calendário de eventos em Mato Grosso

Experiência única de recreação e entretenimento: Conheça o Escape60′

Fotógrafo vem a MT para ensaios que levantam autoestima de mulheres

Aparelho auditivo com “modo máscara” é alternativa que possibilita a comunicação com a proteção facial

Professora da UFMT recebe moção de aplausos em homenagem ao Dia do Contador

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

terça-feira, 25 de janeiro de 2022

Venezuelanos ‘acampam’ ao lado da rodoviária em Cuiabá para fugir da fome e pobreza

A Rodoviária de Cuiabá, ponto de entrada ou saída de várias pessoas que vão e vem da capital mato-grossense, virou um ‘camping improvisado’ para os 22 indígenas venezuelanos que vieram tentar a sorte no Brasil. Na busca de fugir da extrema pobreza e, principalmente, da fome, eles afirmam que precisam apenas de um trabalho para que possam se manter, contribuir com a sociedade e realizar o sonho de uma nova

A reportagem do Olhar Direto esteve no ‘acampamento’ improvisado pelos venezuelanos ao lado da Rodoviária de Cuiabá. Lá, conversou com o representante do grupo, que é formado por 17 adultos e cinco crianças. O principal pedido: um emprego.

“Nós estivemos em bastantes cidades. Primeiro foi Manaus (AM), de lá seguimos para Porto Velho (RO) e agora estamos em Cuiabá. Nossa intenção é procurar trabalho. Pode ser como carregador, na Venezuela ficávamos em uma região de porto. Fazemos o trabalho braçal sem problemas, queremos uma oportunidade”, disse Jesus Enrique, de 24 anos, representante do grupo e o que fala melhor português.

Jesus pontua que a situação em que vivem não é das melhores, mas supera e muito o que era vivido na Venezuela. “Lá, se trabalhássemos um dia, era apenas um dia de comida que você tinha. Aqui, com R$ 5 você consegue comprar um pacote de arroz ou outra coisa. Aqui é muito melhor que na Venezuela. Com apenas um pouco, já podemos comprar comida. No meu país, não dava para comprar um ovo”.

A Assistência Social da Prefeitura de Cuiabá esteve no local na tarde desta sexta-feira (10), com a intenção de cadastrar os estrangeiros e ouvir as suas demandas. Um dos pedidos era para que o Executivo arrumasse uma casa grande, em que todos pudessem se acomodar e que desse para eles três meses para que arrumem um trabalho e consigam se sustentar.

“Não queremos ficar vivendo de esmolas. Todos gostamos de trabalhar muito. Os homens e as mulheres. Precisamos de uma oportunidade”, finalizou o venezuelano.

Outro pedido feito aos assistentes sociais é a possibilidade de que eles façam carteira de trabalho, para que consigam arrumar um emprego facilmente.

A maioria dos que lá estão são familiares (primos, sogros, cunhados, entre outros). Alguns deles já estão há mais de um ano no país, em busca do sonho de fugir da extrema pobreza e de conseguir dias melhores.

Em meados de dezembro, a Prefeitura de Cuiabá se manifestou a respeito da falta de vagas no Centro Pastoral para Migrantes. Segundo o município, desde o início da vinda dos venezuelanos para o país, há um empenho bastante grande para atendê-los. Porém, destacou que esta é uma realidade nacional. Por conta disto, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) prepara um decreto para proporcionar um melhor atendimento aos estrangeiros que chegam a capital mato-grossense.

Ler Anterior

Apagado na mídia, ex-deputado de MT aparece de ‘fio dental’ e vídeo viraliza

Leia em seguida

Traficantes vendiam drogas pelo Whats e aceitavam até cartão