Notícias de Última Hora :

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Venezuelanos ‘acampam’ ao lado da rodoviária em Cuiabá para fugir da fome e pobreza

A Rodoviária de Cuiabá, ponto de entrada ou saída de várias pessoas que vão e vem da capital mato-grossense, virou um ‘camping improvisado’ para os 22 indígenas venezuelanos que vieram tentar a sorte no Brasil. Na busca de fugir da extrema pobreza e, principalmente, da fome, eles afirmam que precisam apenas de um trabalho para que possam se manter, contribuir com a sociedade e realizar o sonho de uma nova

A reportagem do Olhar Direto esteve no ‘acampamento’ improvisado pelos venezuelanos ao lado da Rodoviária de Cuiabá. Lá, conversou com o representante do grupo, que é formado por 17 adultos e cinco crianças. O principal pedido: um emprego.

“Nós estivemos em bastantes cidades. Primeiro foi Manaus (AM), de lá seguimos para Porto Velho (RO) e agora estamos em Cuiabá. Nossa intenção é procurar trabalho. Pode ser como carregador, na Venezuela ficávamos em uma região de porto. Fazemos o trabalho braçal sem problemas, queremos uma oportunidade”, disse Jesus Enrique, de 24 anos, representante do grupo e o que fala melhor português.

Jesus pontua que a situação em que vivem não é das melhores, mas supera e muito o que era vivido na Venezuela. “Lá, se trabalhássemos um dia, era apenas um dia de comida que você tinha. Aqui, com R$ 5 você consegue comprar um pacote de arroz ou outra coisa. Aqui é muito melhor que na Venezuela. Com apenas um pouco, já podemos comprar comida. No meu país, não dava para comprar um ovo”.

A Assistência Social da Prefeitura de Cuiabá esteve no local na tarde desta sexta-feira (10), com a intenção de cadastrar os estrangeiros e ouvir as suas demandas. Um dos pedidos era para que o Executivo arrumasse uma casa grande, em que todos pudessem se acomodar e que desse para eles três meses para que arrumem um trabalho e consigam se sustentar.

“Não queremos ficar vivendo de esmolas. Todos gostamos de trabalhar muito. Os homens e as mulheres. Precisamos de uma oportunidade”, finalizou o venezuelano.

Outro pedido feito aos assistentes sociais é a possibilidade de que eles façam carteira de trabalho, para que consigam arrumar um emprego facilmente.

A maioria dos que lá estão são familiares (primos, sogros, cunhados, entre outros). Alguns deles já estão há mais de um ano no país, em busca do sonho de fugir da extrema pobreza e de conseguir dias melhores.

Em meados de dezembro, a Prefeitura de Cuiabá se manifestou a respeito da falta de vagas no Centro Pastoral para Migrantes. Segundo o município, desde o início da vinda dos venezuelanos para o país, há um empenho bastante grande para atendê-los. Porém, destacou que esta é uma realidade nacional. Por conta disto, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) prepara um decreto para proporcionar um melhor atendimento aos estrangeiros que chegam a capital mato-grossense.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Apagado na mídia, ex-deputado de MT aparece de ‘fio dental’ e vídeo viraliza

Leia em seguida

Traficantes vendiam drogas pelo Whats e aceitavam até cartão