Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

Gerente é condenado a 30 anos por estuprar e matar jovem de MT

Vítima foi executada com golpes de taco de beisebol; para juiz, crime foi cometido com “brutalidade incomum”

A Justiça de São Paulo condenou, na quinta-feira (9), o gerente de bar Willy Gorayeb Liger a 30 anos de prisão pelo feminicídio qualificado e estupro da cacerense Débora Soriano de Melo, de 23 anos.

O crime ocorreu em um bar no Bairro Mooca, zona leste de São Paulo, em dezembro de 2016.

Conforme a Folha de São Paulo, Liger vai cumprir pena inicialmente em regime fechado e sem direito de apelar em liberdade.

O Conselho de Sentença, formado por quatro homens e três mulheres, entendeu que o réu matou a vítima para tentar escapar da punição pelo estupro que havia cometido momentos antes.

Ao proferir a sentença, o juiz Luis Gustavo Esteves Ferreira, da Primeira Vara do Júri da Capital, afirmou que o crime “foi cometido pelo acusado com brutalidade incomum, incompatível com o mais elementar sentimento de piedade humana”.

 

No entanto, a defesa de Willy afirmou que irá buscar redução da pena.

 

O crime

 

Na madrugada de 14 de dezembro de 2016, Willy e dois amigos conheceram a vítima e outra jovem em uma boate no Centro da cidade.

 

Em seguida, o grupo foi até o bar da Mooca, que pertencia ao primo do criminoso, onde Willy trabalhava como gerente.

 

Após parte do grupo ir embora, Willy e Débora ficaram sozinhos no estabelecimento, momento em que o réu abusou sexualmente da jovem.

 

Depois do estupro, que deixou a vítima com diversas lesões e sangrando, o criminoso matou a cacerense com golpes de taco de beisebol.

 

O corpo foi encontrado pela Polícia após o proprietário do bar acionar as autoridades. Ele disse que recebeu uma ligação do primo dizendo que precisava se livrar do corpo.

 

Oito dias depois ele foi preso na Bahia e alegou não se lembrar do estupro, mas confessou o assassinato.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Prefeitura orienta índios venezuelanos para emissão de Carteira de Trabalho

Leia em seguida

Prefeitura promete recolocar obra de arte na Praça 8 de Abril