Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Número 2 da Secom é irmão de funcionário de Wajngarten

FÁBIO FABRINI E JULIO WIZIACK
DA FOLHAPRESS

O chefe da Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República), Fabio Wajngarten, escolheu para ser seu número 2 no governo o irmão do empresário que administra sua empresa privada, a FW Comunicação e Marketing.

 

Em maio de 2019, o secretário escolheu para assessorá-lo o publicitário Samy Liberman. Primeiro, ele foi posto no cargo de subsecretário de Comunicação Digital. Depois, em agosto, foi alçado à função de secretário-adjunto de Comunicação Social.

 

As nomeações foram oficializadas por meio de portarias da Casa Civil. Em abril, o irmão dele, Fabio Liberman, havia assumido a gestão da FW.

 

Como noticiou a Folha de S.Paulo nesta quarta (15), Wajngarten deixou a função de administrador, mas permanece como o principal sócio da empresa. A firma recebe dinheiro de contratos com emissoras de TV, entre elas a Band e a Record, além de agências de publicidade contratadas pela própria Secom, ministérios e estatais do governo Jair Bolsonaro.

 

A legislação vigente proíbe integrantes da cúpula do governo de manter negócios com pessoas físicas ou jurídicas que possam ser afetadas por suas decisões. A prática implica conflito de interesses e pode configurar ato de improbidade administrativa, demonstrado o benefício indevido. Entre as penalidades previstas está a demissão do agente público.

 

Como número 2 da Secom, Samy participa de decisões e de agendas relativas à distribuição das verbas de publicidade. Além de irmão, é sócio de Fabio Liberman em empresas.

 

Procurado pela reportagem nesta quarta, Fabio Liberman afirmou que ele e Samy conhecem Wajngarten desde crianças, tendo sua confiança, o que motivou a escolha de um para auxiliá-lo na esfera pública e do outro na esfera privada. “O Samy é meu irmão. A gente é junto”.

 

Questionado sobre se a nomeação do secretário-adjunto foi motivada pelo parentesco que tem consigo, Fabio Liberman declarou: “Claro. A relação é que a gente conhece o Fabio [Wajngarten] faz quase 40 anos. Sou publicitário, trabalho com isso há muito tempo. Quando ele foi convidado para o governo, eu era o cara mais próximo dele, em que ele confiava”.

 

Segundo ele, Samy foi “a primeira pessoa” que Wajngarten convidou para a Secom. É engenheiro e publicitário, tendo, de acordo com o irmão, qualificação para as atividades que desempenha.

 

A reportagem telefonou para Samy nesta quarta, mas ele interrompeu a ligação, alegando que não poderia falar.

 

A reportagem procurou a Secom, que ainda não se pronunciou.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Joice chama Bolsonaro de “botequeiro de 5ª categoria” e se diz arrependida

Leia em seguida

Equipe de 30 reeducandas faz manutenção de praças públicas em Cuiabá