Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

MPE denuncia Silval, Piran, Nadaf e mais 5 pessoas por esquema

Caso foi investigado pela Operação Quadro Negro, deflagrada em outubro pela Polícia Civil

O Ministério Público Estadual denunciou o ex-governador Silval Barbosa, o empresário Valdir Piran e mais seis pessoas por um suposto esquema de desvio de dinheiro no âmbito de dois contratos do antigo Cepromat (Centro de Processamento de Dados de Mato Grosso) com a empresa Avançar Tecnologia em Softwares.

O dinheiro desviado, segundo o MPE, seria a forma encontrada pelo ex-governador para quitar uma dívida com Piran, que atua no ramo de factoring.

O esquema, que teria dado um desfalque de quase R$ 8 milhões aos cofres do Estado, foi investigado na Operação Quadro Negro, desencadeada no dia 22 de outubro do ano passado pela Delegacia Fazendária.

Além de Piran e Silval, são alvos da ação o ex-presidente do Cepromat Wilson Celso Teixeira, o ex-diretor do Cepromat Djalma Souza Soares, o ex-servidor Edevamilton de Lima Oliveira, o ex-secretário adjunto de Educação Francisvaldo Pereira de Assunção, o ex-secretário da Casa Civil Pedro Nadaf e ainda o empresário Weydson Soares Fonteles, dono da Avançar Tecnologia.

A denúncia, que foi encaminhada à 7ª Vara Criminal de Cuiabá, pede que Piran seja condenado por peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e fraude à execução de contrato.

Em relação a Silval, a denúncia é por peculato. Nadaf deve responder por lavagem de dinheiro e fraude à execução de contrato. O MPE entende ainda que Teixeira deve ser condenado por peculato, lavagem de dinheiro e fraude à execução de contrato.

 

Francisvaldo deve ser julgado por peculato, corrupção passiva e fraude à execução de contrato. Em relação a Djalma e Edevamilton a acusação é de peculato e fraude à execução de contrato.

 

Auditoria e delação 

 

O inquérito policial foi instaurado a partir do relatório técnico de auditoria da Controladoria Geral do Estado, que apontou diversas irregularidades nas contratações e execuções dos contratos do Cepromat 013/2014 e 014/2014, com a Avançar.

 

Os contratos tinham como objeto o fornecimento de softwares educacionais, incluindo customização, mídias de instalação, capacitação de professores, manutenção e acompanhamento técnico pedagógico.

 

“De acordo com a equipe de auditores, a prestação do objeto dos citados contratos administrativos foi feita de forma irregular, ou simplesmente foi executada como exemplo a total ausência de instalação de softwares em algumas escolas, além da inexistência de capacitação dos profissionais da Secretaria Estadual de Educação e de transferência de tecnologia”, consta na denúncia assinada pelo promotor Sérgio Silva da Costa.

 

“A partir da análise financeira realizada, restou identificado que o Cepromat transferiu em favor da Avançar Tecnologia em Software LTDA o montante de R$ 7.160.000 e o valor de R$ 807.622 foi transferido através da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso, totalizando a quantia de R$ 7.967.622”.

 

Segundo as investigações, junto com o relatório técnico, que apontou elementos de inexecução dos contratos, as colaborações premiadas de Silval e Nadaf ajudaram na investigação. “Constatou-se que os contratos foram manipulados com vista a saldar a dívida do ex-governador Silval Barbosa com o empresário Valdir Agostinho Piran”.

 

“Com efeito, conforme evidenciado a partir das investigações, destaca-se que o denunciado Valdir Agostinho Piran foi a pessoa que promoveu e organizou a cooperação dos demais agentes denunciados, tudo visando receber valores desviados dos cofres públicos”, diz a denúncia.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Flamengo e Real Madrid anunciam transferência de Reinier

Leia em seguida

Primeiro fugitivo brasileiro do PCC é recapturado em MS