Notícias de Última Hora :

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

quinta-feira, 10 de junho de 2021

Professores e vereadores se mobilizam contra decreto do prefeito de Tangará da Serra

Documento encaminhado à Câmara Municipal visa modificar o número de alunos por sala de aula na educação infantil

Após o prefeito de Tangará da Serra, Fábio Junqueira (MDB), encaminhar um decreto à Câmara Municipal, um grupo de professores da educação infantil se mobilizaram na tarde desta terça-feira, 28, contra a decisão do chefe do executivo municipal. Em suma, o decreto 428 revoga o artigo 12 da Resolução nº 006/2008, do Conselho Municipal de Educação (CME), trata da proporção de alunos por sala de aula da educação infantil municipal.

Conforme a professora Kátia Maria Becks, o decreto retira direitos da classe assegurados em lei. Com apoio de vários vereadores, os profissionais pedem que o executivo municipal revogue a decisão publicada no dia 23 de dezembro de 2019.

Tal resolução regulamenta que não deve passar de 20 o número de crianças por professor. A classe teme que após o decreto, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) aumente, através de uma Instrução Normativa, esse número, chegando ou até passando de 25 crianças por educador.
Ela acredita que o aumento de crianças por professor acarretará na diminuição da qualidade de ensino de Tangará da Serra. “É impossível um professor desenvolver com qualidade um ensino com um número tão elevado de crianças, 20 já é um número muito grande, com 25 é impossível”, disse.

Além disso, Kátia Becks, explicou que o texto do Decreto do prefeito contrapõe a legislação nacional vigente. “O que mais nos incomoda é a falta de diálogo do Executivo com os profissionais”, disse, afirmando acreditar que o executivo irá rever a decisão tomada, sem consultar a classe.

O vereador Professor Sebastian (PSB), presidente da Comissão de Educação da Câmara, entende que a decisão do prefeito é arbitrária e que ele deveria ter consultado a classe. “Eu como presidente da Comissão não tive conhecimento, não fui consultado e meus colegas da Comissão também não”, disse, sugerindo que o Decreto 428 seja sustado.

Mas, para que isso ocorra, o Decreto 428 deverá passar por uma votação no plenário da Câmara. Pelo menos 10 vereadores devem votar favoráveis a revogação. “Porém, antes de protocolar o pedido de sustação, estamos tentando caminhos com o Executivo, afim de que ele revogue esse decreto”, falou.

Articulador da reunião, o vereador Professor Vagner (PSDB), também defende o diálogo com profissionais, com o executivo, Legislativo e até Ministério Público. “Precisamos buscar uma solução para a educação em Tangará, espero que o prefeito seja sensível em ouvir a classe, para evitar prejuízos, diminuindo a qualidade da educação”, comentou.

Presente na reunião, a presidente do Sindicato dos Profissionais da Educação (Sintep) de Tangará da Serra, a professora Francisca Alda de Lima não descarta uma paralisação e até greve na educação municipal no início do ano letivo de 2020, marcado para começar em 17 de fevereiro. “Se não estabelecer o diálogo, se a greve for necessária ela com certeza vai acontecer”, garantiu.

Ler Anterior

Cuiabanos são impactados com aumento no preço dos alimentos

Leia em seguida

Governador garante que deve apresentar solução para VLT até metade do ano