Notícias de Última Hora :

Atleta olímpico participa de jogo de fuga em Cuiabá

Dia do fonoaudiólogo: entenda a importância desse profissional no ambiente hospitalar

Profissionalismo e dedicação marcam 20 anos de profissão da fonoaudióloga Samia Ribeiro

Chapa 2 Integração protocola pedido para que profissionais da contabilidade tenham férias fiscais em MT

Adrenalina, desafios e diversão te esperam no Halloween da Escape60, em Cuiabá

Encontro automobilístico “Esperienza” supermáquinas entra para o calendário de eventos em Mato Grosso

Experiência única de recreação e entretenimento: Conheça o Escape60′

Fotógrafo vem a MT para ensaios que levantam autoestima de mulheres

Aparelho auditivo com “modo máscara” é alternativa que possibilita a comunicação com a proteção facial

Professora da UFMT recebe moção de aplausos em homenagem ao Dia do Contador

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Professores e vereadores se mobilizam contra decreto do prefeito de Tangará da Serra

Documento encaminhado à Câmara Municipal visa modificar o número de alunos por sala de aula na educação infantil

Após o prefeito de Tangará da Serra, Fábio Junqueira (MDB), encaminhar um decreto à Câmara Municipal, um grupo de professores da educação infantil se mobilizaram na tarde desta terça-feira, 28, contra a decisão do chefe do executivo municipal. Em suma, o decreto 428 revoga o artigo 12 da Resolução nº 006/2008, do Conselho Municipal de Educação (CME), trata da proporção de alunos por sala de aula da educação infantil municipal.

Conforme a professora Kátia Maria Becks, o decreto retira direitos da classe assegurados em lei. Com apoio de vários vereadores, os profissionais pedem que o executivo municipal revogue a decisão publicada no dia 23 de dezembro de 2019.

Tal resolução regulamenta que não deve passar de 20 o número de crianças por professor. A classe teme que após o decreto, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) aumente, através de uma Instrução Normativa, esse número, chegando ou até passando de 25 crianças por educador.
Ela acredita que o aumento de crianças por professor acarretará na diminuição da qualidade de ensino de Tangará da Serra. “É impossível um professor desenvolver com qualidade um ensino com um número tão elevado de crianças, 20 já é um número muito grande, com 25 é impossível”, disse.

Além disso, Kátia Becks, explicou que o texto do Decreto do prefeito contrapõe a legislação nacional vigente. “O que mais nos incomoda é a falta de diálogo do Executivo com os profissionais”, disse, afirmando acreditar que o executivo irá rever a decisão tomada, sem consultar a classe.

O vereador Professor Sebastian (PSB), presidente da Comissão de Educação da Câmara, entende que a decisão do prefeito é arbitrária e que ele deveria ter consultado a classe. “Eu como presidente da Comissão não tive conhecimento, não fui consultado e meus colegas da Comissão também não”, disse, sugerindo que o Decreto 428 seja sustado.

Mas, para que isso ocorra, o Decreto 428 deverá passar por uma votação no plenário da Câmara. Pelo menos 10 vereadores devem votar favoráveis a revogação. “Porém, antes de protocolar o pedido de sustação, estamos tentando caminhos com o Executivo, afim de que ele revogue esse decreto”, falou.

Articulador da reunião, o vereador Professor Vagner (PSDB), também defende o diálogo com profissionais, com o executivo, Legislativo e até Ministério Público. “Precisamos buscar uma solução para a educação em Tangará, espero que o prefeito seja sensível em ouvir a classe, para evitar prejuízos, diminuindo a qualidade da educação”, comentou.

Presente na reunião, a presidente do Sindicato dos Profissionais da Educação (Sintep) de Tangará da Serra, a professora Francisca Alda de Lima não descarta uma paralisação e até greve na educação municipal no início do ano letivo de 2020, marcado para começar em 17 de fevereiro. “Se não estabelecer o diálogo, se a greve for necessária ela com certeza vai acontecer”, garantiu.

Ler Anterior

Cuiabanos são impactados com aumento no preço dos alimentos

Leia em seguida

Governador garante que deve apresentar solução para VLT até metade do ano