Notícias de Última Hora :

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

quarta-feira, 28 de julho de 2021

Produção de energia solar ganha reforço com projeto de Medeiros

Bom da noticia

Na primeira sessão legislativa de 2020 do Congresso Nacional, realizada nesta segunda-feira (3), o deputado federal José Medeiros (Pode) protocolou um projeto de lei -PL 16/2020 -, para impedir que a Agência Nacional de Energia Elétrica [Aneel], retire os incentivos atualmente vigentes para a produção de energia por painéis solares até, pelo menos, 2045.

 

O projeto está em consonância com a intenção do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem Partido), de quem é vice-líder na Câmara Federal, de estimular a produção de energia solar no país.

 

O deputado lembrou que a Aneel abriu consulta pública, em 2019, com intenção de alterar as regras de relacionamento tarifário com quem possui a estrutura e fornece energia à rede pública. A ideia da Agência, segundo Medeiros, era que na compensação de créditos das unidades consumidoras fosse incidida uma taxa que representaria o custo das distribuidoras com a manutenção da rede.

 

Segundo Medeiros, os cidadãos têm toda razão ao reclamar.
“As pessoas que investiram assim fizeram pelo interesse óbvio de ficarem autossuficientes em energia elétrica, ou seja, na relação sobre produção e gasto atingirem o superávit para não terem mais custos com faturas. Isso permitiria que, em alguns anos, os painéis se pagassem. Independente do mérito da questão e dos argumentos da Aneel, o que não se pode é mudar a regra no meio do jogo. Tornar o sistema inviável agora é uma sacanagem com quem acreditou na promessa”, pontuou o parlamentar.

 

Medeiros, que já até foi o proponente de uma audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Urbano, que no ano passado discutiu o assunto, afirma que a entrada do presidente da República no tema deu um gás a mais na questão.

 

“A preocupação de Bolsonaro foi muito salutar. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, do Senado, Davi Alcolumbre, também já se mostraram sensíveis
à necessidade do Congresso colocar norte nesta questão. Não podemos viver de portarias da Aneel, justamente por isso a ideia é dar celeridade na tramitação desta proposta para equacionarmos a questão o mais rápido possível”, explicou o deputado.

 

O parlamentar acredita que nos próximos 25 anos será possível então que o mercado se estabeleça devidamente e que a partir da data previamente citada de janeiro de 2046 se rediscuta os termos.

 

“Não podemos nos esquecer de que estamos falando de uma energia limpa, de uma tecnologia que traz ganhos importantíssimos ao mundo e é fundamental crescermos de maneira sustentável. A demanda de energia só tende a crescer e creio que este tempo de carência é razoável para que ninguém seja enganado ou saia no prejuízo. É fundamental que se planeje a evolução das coisas quando envolve o bolso alheiros, com a clareza que isso requer”.

Ler Anterior

Bolsonaro faz chacota com desempregado: Vou lançar o programa minha primeira empresa

Leia em seguida

Cuiabano ganha sozinho na Quina e fatura R$ 16,6 milhões