Notícias de Última Hora :

Atleta olímpico participa de jogo de fuga em Cuiabá

Dia do fonoaudiólogo: entenda a importância desse profissional no ambiente hospitalar

Profissionalismo e dedicação marcam 20 anos de profissão da fonoaudióloga Samia Ribeiro

Chapa 2 Integração protocola pedido para que profissionais da contabilidade tenham férias fiscais em MT

Adrenalina, desafios e diversão te esperam no Halloween da Escape60, em Cuiabá

Encontro automobilístico “Esperienza” supermáquinas entra para o calendário de eventos em Mato Grosso

Experiência única de recreação e entretenimento: Conheça o Escape60′

Fotógrafo vem a MT para ensaios que levantam autoestima de mulheres

Aparelho auditivo com “modo máscara” é alternativa que possibilita a comunicação com a proteção facial

Professora da UFMT recebe moção de aplausos em homenagem ao Dia do Contador

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

terça-feira, 25 de janeiro de 2022

UFMT expulsa aluno de medicina acusado de estupro

Caso viralizou no Twitter e teve mais de 5 mil interações

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), junto com a Faculdade de Medicina (FM), se posicionaram nesta tarde de quarta-feira (05) sobre o caso envolvendo um estudante da instituição, acusado de ter dopado e estuprado uma jovem em Cuiabá.

Conforme nota de esclarecimento, a UFMT aponta que repudia a violência sexual sofrida pela jovem, decorrente das relações estudantis na instituição.
Leia mais: Estudante de medicina da UFMT é acusado de estupro

A instituição ainda disse que ele poderá ser passível de expulsão. Além disso, enfatizou que acompanha o caso junto com a Faculdade de Medicina, que está ciente do crime. A diretoria da União Estadual dos Estudantes (UEE) também publicou uma nota de apoio em seu perfil no Instagram à vítima. No texto, a diretoria também relata estar acompanhando o caso, além de repudiar atos que reverberem ao machismo.

Desde então, a vítima informou que está indo até à Polícia Civil para registrar o caso. O agressor foi procurado, mas deletou as contas em redes sociais.

O caso

Estudante de medicina da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) está sendo acusado de dopar e estuprar uma jovem em Cuiabá. A vítima conhecia o suspeito, que teria se aproveitado da situação vulnerável em que ela se encontrava para cometer o ato. Polícia Civil será comunicada do crime na manhã desta quarta-feira (5).

Em rede social, a vítima contou que teve uma briga em casa e que estava abalada com a situação. Com isso, saiu de casa e parou em um lugar para carregar o celular.

A jovem conta ainda que assim que o agressor chegou, ela estava chorando muito e nervosa, entrou no carro dele. “Ele me deu um remédio e disse que era para eu me acalmar. Eu disse que iria tomar quando estivesse na casa da minha amiga e ele insistiu, disse que demorava para fazer efeito e eu tomei, fiquei meio grogue (e não demorou para fazer efeito igual ele disse”.

No dia seguinte, quando acordou na casa de um amigo, foi tomar banho e achou uma camisinha e maconha dentro da vagina. “Tiveram outros detalhes que eu prefiro não falar e resumindo, foi isso. Fui violentada quando estava psicologicamente e fisicamente vulnerável”.

Veja as notas na íntegra:  

ESTUPRO é CRIME e a culpa NUNCA é da vitima!

A diretoria da União Estadual dos Estudantes, vem, por meio desta nota, repudiar o ato de violência sexual sofrida pela estudante Angelica em Cuiabá, sob o contexto e decorrente das relações estudantis na Universidade Federal do Estado de Mato Grosso.  

De antemão, repudiamos qualquer ato que reverbere o machismo estrutural na sociedade em que vivemos, dentre outras práticas MISÓGINAS, que resultam em violação, degradação e morte de nossas mulheres, e prestamos toda nossa solidariedade e acolhimento à Angelica.

A mesma acusa um estudante de medicina da UFMT pela violência sofrida. Informamos que entramos em contato com a UFMT e a Faculdade de Medicina, ambos já se posicionaram sobre o caso. Destacamos que aguardamos pelo cumprimento do papel da justiça e das investigações para elucidação dos fatos.  

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a Faculdade de Medicina (FM) informam que acompanham o caso e aguardam as investigações dos órgãos de segurança, em respeito à legislação vigente no país.  

A Instituição assevera que o comportamento citado na denúncia é inaceitável e incompatível com a postura esperada de seus alunos e comunidade como um todo.  

De acordo com o regimento de disciplina do corpo discente da UFMT, a prática de atos incompatíveis com a vida universitária e a condenação criminal definitiva por crime incompatível com a vida universitária são hipóteses passíveis de exclusão da Instituição.

Com informações da Gazeta

Ler Anterior

Deputada de MT pede impeachment do ministro da Educação

Leia em seguida

Menor de 16 anos tenta matar irmão de 13 a facadas em Paranatinga