Notícias de Última Hora :

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

Fonoaudióloga de Cuiabá alerta sobre limpeza de aparelhos auditivos no período de pandemia

O mundo é machista, mas quem mandam são elas

Gêmeos de Cuiabá são aprovados em três universidades federais

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Ato falho

Os meandros da política são sinuosos, como os rios de águas turvas, caudalosas, que correm por terrenos sinuosos e acidentados. Este comparativo dá-se, pela ausência de pessoas com predicativos e atitudes, que atendam os: anseios, desejos e necessidades das pessoas mais humildes.

Principalmente, quando surge a vacância de um cargo expressivo e cobiçado por muitos, como de o Senador; com a saída de Selma Arruda (Pode-MT). Ai, os ânimos se acirram, passando a valer os interesses e necessidades de cada um, alguns estão querendo  autopromover-se ou promover seus pares, outros por vaidade pessoal e por ai vai.

A política está relacionada diretamente com a vida em sociedade, no sentido de fazer com que cada indivíduo, expresse suas diferenças e conflitos, sem que isso, seja transformado em  caso social.

Quando, um fato dessa magnitude acontece como a vacância de um cargo exponencial como esse, a disputa,passa a  acontece de forma exacerbada; cada qual, se valendo das suas aspirações e interesses pessoais, muitas vezes, mudando até mesmo, os nomes dos verdadeiros donos dos projetos.

Falo isso, pautado em uma situação pouco ortodoxa, que aconteceu no retorno dos trabalhos, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Em sessão solene que aconteceu na segunda-feira (3), às 9 horas, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa instala a 2ª sessão legislativa anual, da 19ª Legislatura, com a presença de convidados especiais e apresentação de mensagens do Poder Executivo.

Em sua fala, o secretário-chefe da Casa Civil Mauro Carvalho admite a possibilidade de o Governo recuar em alguns pontos do projeto de lei da “Cota Zero” e garante que o Executivo tem “humildade” suficiente para reconhecer os erros caso existam.

Até ai tudo bem, nada mais justo que retroceder e ouvir o clamor das pessoas, dos seguimentos organizados envolvidos no processo, e analisar os eventuais problemas que iram advir, caso esse projeto esdrúxulo fosse sancionado na integra,  ocasionaria sérios problemas.

O que ficou realmente  desconexo, com relação à fala do secretário-chefe da Casa Civil Mauro Carvalho, ele diz “Tivemos, uma discussão com a Assembleia Legislativa. Num debate franco e verdadeiro, coordenado pelo deputado Eduardo Botelho (DEM-MT), e esses estudos estão sendo feito pela própria Assembleia”.

Sabemos que, ele fez deferência ao Eduardo Botelho (DEM-MT), pelo fato de o mesmo ser o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, dessa forma como foi colocado, fica parecendo que quem combateu o projeto “Cota Zero”, foi Eduardo Botelho (DEM-MT).

É bom que se diga quem realmente levantou a bandeira de luta contra esse famigerado projeto,  denominado “Cota Zero”, Projeto de Lei nº 668/2019 que trata da Política Estadual de Desenvolvimento Sustentável da Pesca e regulamenta as atividades pesqueiras em Mato Grosso.

Foi o deputado estadual Elizeu Nascimento (DC), capitaneado pelos seguimentos organizados, ligados à pesca. Além, de ter presidido uma grande quantidade de audiências públicas em vários municípios, propiciando desta forma, às pessoas que tem ligação direta ou indireta, com o tema; pudessem externar seus sentimentos e pensamentos a respeito desse projeto populista, e inconsistente.

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Cuiabanos garantem vagas em universidades federais de todo o país

Leia em seguida

Moradores do bairro Santa Helena recebem um novo espaço de lazer