Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

Estudantes ocupam Nilo Póvoas contra fechamento da escola

Manifestação começou na última segunda-feira (10)

Um grupo de aproximadamente 30 alunos, de 16 a 18 anos, ocuparam a Escola Estadual Nilo Póvoas, na região Central de Cuiabá, no final da tarde desta segunda (10) para forçar o Governo a voltar atrás e não extinguir a unidade que completa meio século de história este ano. O Governo alega que está fazendo a readequação de vagas, já que algumas escolas estariam com poucos alunos e portanto ociosas, o que gera gastos desnecessários aos cofres públicos. A medida não agradou à parte da sociedade e à comunidade escolar, que já fez pelo menos dois protestos anteriormente.

A ocupação de hoje ocorreu por volta das 16h, de acordo com alunos, a entrada na unidade foi feita de forma tranquila. Eles pediram a chave à direção, que se negou a entregar. Após conversações, conseguiram que fossema abertas duas salas de aula, para que meninos e meninas durmam, esta noite, separados. Conseguiram também a chave da cozinha e estão se alimentando com o que tem a dispensa para merenda. Alegam que pretendem repor tudo, através de campanha de doação.

Depois da ocupação, dois homens foram à Nilo Póvoas e se apresentaram como sendo da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Como tem uma reunião previamente marcada com a secretária Marioneide, para o dia 19 deste mês, justamente com os descontentes com a extinção da Nilo Póvoas, eles informaram que a agenda só será mantida, mediante desocupação imediata.

Nesta noite, os alunos já jantaram e vão dormir nas salas em colchonetes e travesseiros que levaram.

Pretendem ficar acampados por tempo indeterminado, impedindo a entrada. “Vamos ficar até que o Governo suspenda a decisão de extinguir nossa escola”, diz um dos alunos, que preferiu não dar nome. “Já conversamos muito, resolvemos agora é entrar mesmo e estamos tranquilos e focados no que a gente quer, que é reivindicar o não fechamento da escola”.

A Polícia Militar até o momento não esteve na escola. Manifestantes não têm informações sobre recursos juidicias que possam ter sido impetrados, para que saiam.

Tem uma faixa pendurada no portão da escola. Está escrito nela: “OCUPADO”.

O Governo anterior, de Pedro Taques (PSDB), também enfrentou ocupações, pelo menos 22 unidades foram tomadas por alunos. Na época, ele os chamou de massa de manobra com fins políticos. A reivindicação deles era a revogação do edital que permitia parcerias do setor público com empresas privadas para oferta de serviços considerados “não pedagógicos”, como o preparo da merenda, serviços de manutenção e limpeza e vigilância.

Outro lado

Sobre a situação na Nilo póvoas, o Governo ainda não se manifestou sobre o assunto.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Subtenente da PM é suspeito de tentar matar homem em bar

Leia em seguida

Vereador preso por tráfico pode continuar mandato em VG