Notícias de Última Hora :

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

Fonoaudióloga de Cuiabá alerta sobre limpeza de aparelhos auditivos no período de pandemia

O mundo é machista, mas quem mandam são elas

Gêmeos de Cuiabá são aprovados em três universidades federais

sábado, 24 de outubro de 2020

Relator da cassação, Saad afirma que foi ameaçado e garante processar Abílio

O vereador Ricardo Saad (PSDB), autor do relatório recomendado a cassação do vereador Abílio Júnior (PSC) por quebra de decoro, aprovado por unanimidade na Comissão de Ética de Decoro Parlamentar da Câmara de Cuiabá ontem (12), denunciou que foi ameaçado pelo colega. Por isso, prometeu acioná-lo judicialmente.

“Desde a hora que entrei nesse plenário o senhor está me ameaçando. É esse o seu perfil. Quando eu fiz o projeto, de que todo vereador tem que passar por psiquiatra, a atitude do Abílio mostra que é necessário. Eu não concordo com a sua atitude e vejo como uma pessoa doente”, declarou Saad na sessão ordinária desta quinta (13).

Saad declarou que não aceita ser chamado de corrupto por Abílio. Afirmou ainda que o vereador que deve ser cassado no inicio de março “se esconde atrás do avô”, que é o pastor Sebastião Rodrigues de Souza, líder da Assembleia de Deus em Mato Grosso.

O senhor não respeita ninguém e nem sua igreja. Agora não venha me chamar de corrupto, que  eu vou judicializar o senhor hoje. Vou entrar na Justiça criminal contra o senhor e você vai ter que provar que sou corrupto.  Eu não me escondo atrás do meu avô, de quem quer que seja da igreja. Eu sou doutor Ricardo Saad, médico, 37 anos prestando serviço na cidade. Ninguém pode falar nada de mim, Abílio. Agora, só porque eu não lhe agradei, vem falar mal de mim? O senhor errou o tempo todo. Sinto muito, o senhor foi avisado”, completou.

Pedido de cassação

O pedido de cassação acatado pela Comissão de Ética foi apresentado pelo diretor do Hospital Municipal São Benedito Oséas Machado, em 15 de outubro do ano passado. Além da perda do mandato, o requerimento também solicita a consequente inelegibilidade de Abílio.

A peça relata que o parlamentar se comportou de forma inadequada, desacatando e constrangendo o próprio Oseás e outros servidores, ao fiscalizar a unidade de saúde em setembro do ano passado.

Oséas, que é o suplente direito do vereador, ainda elenca episódios em que Abílio ofendeu pelo menos 11 colegas vereadores em plenário, nas redes sociais e em entrevistas a diversos veículos de comunicação, além de fazer acusações sem provas e atacar a imagem do Legislativo Cuiabano. A peça conta com diversos anexos para comprovar as denúncias.

Cerceamento de defesa

A defesa de Abílio, feita pelo advogado Carlos Rafael de Carvalho, deve entrar com mandado de segurança pedindo a anulação do processo de cassação do mandato do vereador.  Ontem, o encerramento dos trabalhos da Comissão de Ética terminou em gritaria e xingamentos. Abílio chegou a se referir aos colegas como “paus mandados do prefeito (Emanuel Pinheiro)”, e afirmou que a aprovação do relatório é uma manobra para barrar a Operação Sangria, que apura um esquema de monopolização dos serviços de saúde na Capital.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Preferência do PSDB por Leitão incomoda Taques; tucanos tentam apaziguar ânimosJacques Gosch e Patrícia Sanches

Leia em seguida

Tribunal não vê improbidade e absolve magistrados do Escândalo da Maçonaria