Notícias de Última Hora :

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

quinta-feira, 26 de novembro de 2020

TJ solta professor que tentou matar diretora a facadas dentro de escola em MT

O professor de Matemática, Cleiton Gomes da Silva, da rede municipal de ensino de Rondonópolis (216 KM de Cuiabá), foi solto pela Justiça em julgamento ocorrido no Tribunal de Justiça (TJ-MT) na terça-feira (11). Ele foi preso no dia 29 de novembro de 2019 após “tentar matar” com uma faca a diretora da escola onde lecionava.

A liberdade foi concedida pelos magistrados da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ-MT), que seguiram por unanimidade o voto do desembargador Paulo da Cunha, relator de um habeas corpus interposto pela defesa do professor. Mesmo fora da prisão, porém, Cleiton Gomes da Silva terá de cumprir outras medidas cautelares.

Ele terá monitoramento eletrônico e a comprovação mensal de que vem realizando tratamento psiquiátrico. “Estou concedendo parcialmente a liberdade para comparecimento mensal em juízo para informar e justificar as suas atividades, obrigação de manter atualizado o seu endereço, afastamento cautelar da unidade ensino onde ocorreu. Proibição de manter contato com a vítima e testemunha, monitoração eletrônica, e submissão ao acompanhamento médico necessário, que isso que eu entendo de mais relevância, com comprovação mensal perante o juízo de primeira instância”, determinou Paulo da Cunha.

Na avaliação do desembargador, o caso do professor, que confessou ter “problemas mentais”, seria o de aposentadoria. “Ele já fez cirurgia na cabeça, já teve uma série de problemas. O caso que não escapa de nossa alçada seria mais uma aposentadoria do que continuar trabalhando nisso aqui”, analisou o magistrado.

A defesa de Cleiton Gomes da Silva revelou que ele está “extremamente envergonhado e arrependido”. Ele teria esfaqueado a mesma colega de trabalho que já o ajudou numa situação anterior, em que foi acometido de uma crise de epilepsia.

O CASO

No dia 29 de novembro de 2019, Cleiton Gomes da Silva entrou na sala da diretora da escola municipal Daniel Paulista Campos, localizada no Residencial Margaridas, em Rondonópolis. No recinto encontrava-se a dirigente escolar e uma outra funcionária da unidade de ensino.

Segundo o boletim de ocorrência, o professor colocou uma mesa em frente à porta para impedir a entrada de outras pessoas, tirou uma faca da sua bolsa, e começou a esfaquear a diretora, que teve lesões nas mãos, no ombro e no cotovelo. A outra servidora que estava presente na unidade de ensino, porém, conseguiu afastar a mesa que bloqueava a porta e gritar por socorro. Outros funcionários da escola conseguiram por fim às agressões, e acionaram a polícia militar.

A prefeitura municipal de Rondonópolis informou por meio de nota à época que o professor é servidor efetivo e estava em processo de readaptação após regressar de uma licença para tratamento de saúde.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Secretaria de Educação deve entregar 30 obras de reforma em Cuiabá

Leia em seguida

MPE investiga ex-prefeito por desvios em realização de festas em VG