Notícias de Última Hora :

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

quarta-feira, 23 de junho de 2021

Myrian Serra renuncia à reitoria da UFMT após forte crise administrativa

A atual reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Myrian Thereza de Moura Serra, renunciou ao cargo.

Ele protocolou em Brasília, nesta sexta-feira (21), o ofício nº 15/2020 endereçado ao presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES), João Carlos Salles Pires da Silva

“Por razões de cunho pessoal, comunico a minha renúncia ao Cargo de Reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a partir de 02 de março de 2020. Agradeço à ANDIFES pelo apoio recebido. Fiz muitos amigos que são essenciais para a vida e para o exercício de nossa função. A partir de agora estarei em outras frentes, sempre em defesa da Educação Superior Autônoma, Pública, Gratuita, Democráca, Laica e Inclusiva”, afirma Myrian.

A reitora enfrenta denúncias de danos ao erário e má gestão do dinheiro público. Um relatório da Controladoria Geral da União (CGU), referente ao exercício de 2019, avaliou a gestão orçamentária da universidade. Auditoria interna encontrou indícios de potencial ilícito administrativo praticado por Myrian.

“Recomenda-se à Reitora da UFMT instaurar Processo Administrativo de Responsabilização (PAR) para apuração e promoção de eventual responsabilização do agente causador do prejuízo ao erário”.

Guerra com ministro

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, já estaria articulando a formação de uma lista tríplice para que houve nossa eleição na UFMT. Myrian ocupa o cargo desde 2017, quando foi indicada no governo do ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Em visita a Cuiabá em setembro do ano passado, o ministro fez duras críticas à Myrian, afirmando que sua gestão fala por si mesma e a classificando como “ruim”.

Ilícitos encontrados

Foi verificado pela CGU o pagamento indevido de refeições ao fornecedor do Restaurante Universitário (RU), a empresa Novo Sabor Refeições Coletivas Ltda, onde registrou-se aumento no período de 2017 a 2018 de 592%.

E entre 2017 e 2019, de 576%, ou seja, um exorbitante aumento em 2018, com redução para 2019, se comparado ao ano base 2017. O relatório aponta ainda para um suposto descaso e falta de economia com os gastos em energia elétrica.

Vale lembrar que em 16 de julho houve um corte no fornecimento que deixou todo os campus sem luz, suspendendo todas as aulas em Mato Grosso.

“A contas com energia elétrica ultrapassam R$ 1.800.000,00, acumuladas ao longo dos anos de 2017, 2018 e 2019 e há execução de despesa sem limite orçamentário, caracterizando infração administrativa contra a Lei de Finanças Públicas”, diz trecho do documento.

De 1º de janeiro de 2017 a 31 de julho de 2019, as despesas com serviços diversos somaram R$ 246.511.230,63. Já os empenhos com energia elétrica somaram R$ 28.942.474,59 (cerca de doze por cento) no mesmo período.

O outro lado

A reportagem entrou em contato com a Comunicação da UFMT. A equipe afirmou que está levantando a informação sobre a renúncia da reitora e que irá se manifestar em breve.

Ler Anterior

Time do mixto contrata mais 3 jogadores

Leia em seguida

Criminosos armados invadem loja e roubam armas de policial que fazia compras