Notícias de Última Hora :

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

Empresa de aparelhos auditivos atende pacientes em domicílio durante pandemia

Alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo podem acompanhar aulas pela internet

Fonoaudióloga de Cuiabá alerta sobre limpeza de aparelhos auditivos no período de pandemia

O mundo é machista, mas quem mandam são elas

Gêmeos de Cuiabá são aprovados em três universidades federais

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

TCE suspende decisão que condenou prefeito em MT

O conselheiro substituto do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), Luiz Carlos Pereira, suspendeu uma decisão que determinou a devolução de R$ 22,6 mil pelo ex-secretário municipal de finanças de Rio Branco (336 KM da Capital), Adelgício Almeida Pinheiro, que também terá que pagar uma multa de 10% sobre este valor. A medida foi publicada nesta quinta-feira (27).

A decisão também determinou que o prefeito do município, Antonio Xavier de Araújo, o “Totonho” (PSC), pagasse os mesmos 10% sobre os R$ 22,6 mil. Ambos os pagamentos foram suspensos pelo conselheiro substituto Luiz Carlos Pereira em razão de um recurso interposto pelo prefeito de Rio Branco contra a determinação, de julho de 2019, que os condenou por danos aos cofres públicos da cidade.

Os efeitos da decisão – ou seja, os pagamentos -, estarão suspensos até que o TCE-MT julgue o recurso administrativo de “Totonho”.

De acordo com informações do processo que tramita no TCE-MT, o prefeito teria sido responsável pelo pagamento “a mais” nos salários do secretário de finanças, Adelgício Almeida Pinheiro, além de Pedro Antônio Boascivis, que também ocupou a pasta. Eles receberam, respectivamente, R$ 22,6 mil e R$ 20,1 mil de forma ilegal, segundo a Corte de Contas.

Pedro Antônio Boascivis, porém, sofreu um processo administrativo em razão da irregularidade e já teria realizado um acordo com a prefeitura de Rio Branco para devolver os valores recebidos irregularmente.

Os pagamentos a mais no salário teriam sido autorizados pelo próprio prefeito. A decisão de julho de 2019, proferida pelo conselheiro interino Luiz Henrique Lima, comentou que o Chefe do Poder Executivo Municipal de Rio Branco “favoreceu” os secretários, que eram de sua “confiança”.

“Depreende-se da conduta do gestor grave infração ao princípio da impessoalidade, materializada pelo favorecimento de servidores de sua confiança, a quem autorizou que buscassem uma maneira para a formalização dos pagamentos, permitindo-lhes criar uma situação fictícia de aparente legalidade para justificar o recebimento de valores excedentes aos estabelecidos nas leis de pessoal do Município”, asseverou Luiz Henrique Lima.

O recurso do prefeito de Rio Branco ainda não tem data para ser julgado.

0 Reviews

Write a Review

Ler Anterior

Cuiabá substitui ponte de madeira em comunidade

Leia em seguida

São Paulo faz 2 a 1 na Ponte Preta e agora só pensa na Libertadores