Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

domingo, 28 de fevereiro de 2021

Senador de MT apresenta PEC para levar eleições municipais para 2022

Senador sugere também que eleição suplementar ao Senado possa ser realizada após pico da crise do coronavírus

Wellington defende ainda que a eleição suplementar ao Senado possa ocorrer depois que passar o pico da crise de contaminação pelo coronavírus – que tem sido prevista para dentro dos próximos 60 dias -, mas pondera que a falta de um senador por Mato Grosso não causa prejuízos à democracia e nem a representatividade do estado.
“Vai caber à mesa diretora decidir como vai ficar, se afasta de vez a senadora Selma, ou se convoca o 3º colocado. Tem muito senador que pede licença de 90 dias e o 1º suplente nem assume. É muito difícil ter uma votação com quórum de 100% no Senado”, argumenta.
O parlamentar enfatiza que não tem urgência para votar sua proposta de PEC, mas para que ela possa ter efeito, deve ser votada até setembro deste ano, antes das eleições municipais.
Medidas de prevenção
Wellington avalia que as medidas de prevenção – como o isolamento – devem ser mantidos, mas que não pode ocorrer o desabastecimento da população.
Neste sentido, o senador aponta que os governos devem se organizar e utilizar os recursos disponíveis para auxiliar na saúde, os trabalhadores e as empresas.
“O Congresso deu liberdade para não ter teto dos gastos. Ontem votamos permitindo que o governo federal, governo dos estados e dos municípios possam usar recursos dos convênios para a saúde”, relata.
Sem impeachment
O senador também avalia que não é momento para se pensar em impeachment do presidente da República, como tem sugerido parte da oposição, e muito menos afastamento do ministro da saúde.“Já participei de dois impeachments, do ex-presidente Fernando Collor de Melo e da ex-presidente Dilma Rousseff. São processos demorados e traumáticos. Agora é hora de buscar diálogo. Temos um presidente muito contundente, mas ele precisa se moderar”, defende Wellington.
Fonte: Olivre

Ler Anterior

Prefeito ep autoriza o funcionamento de supermercados, mercearias, padarias e açougues aos domingos

Leia em seguida

Emanuelzinho consegue mais de R$ 8 milhões para enfrentamento ao Coronavírus em MT