Notícias de Última Hora :

Experiência única de recreação e entretenimento: Conheça o Escape60′

Fotógrafo vem a MT para ensaios que levantam autoestima de mulheres

Aparelho auditivo com “modo máscara” é alternativa que possibilita a comunicação com a proteção facial

Professora da UFMT recebe moção de aplausos em homenagem ao Dia do Contador

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

sábado, 23 de outubro de 2021

Dançar conforme a música

Elizeu Silva

Moradores praticamente do mundo inteiro vivem dias tenebrosos diante da pandemia da Covid-19. O pavor desse agente patológico invisível atormenta a humanidade quase que em toda a terra. Já não existem distancias, aldeias e fronteiras para que a doença não possa transpor: estamos todos no mesmo barco, juntos e misturados.

São milhares de mortes por Covid-19 mundo afora, segundo monitoramento dos órgãos e autoridades responsáveis pelo assunto. No Brasil até o momento que escrevo este texto são contados mais de 1.300 mortes e mais 23 mil casos confirmados de coronavírus, segundo Ministério da Saúde. Estados com mais mortes confirmadas são: São Paulo (608), Rio de Janeiro (188), Pernambuco (102), Ceará (91) e Amazonas (71). Mato Grosso registra quatro mortes, e 134 casos de Covid-19.

Mas, que doença e mortes que nada! Enquanto isso, políticos em Brasília se degradam com unhas e dentes sobre o farto recurso do fundo partidário e eleitoral – o famoso fundão – que poderia ser usado no combater ao coronavírus, mas não largam o osso. O valor de mais de R$ 3 bilhões está assegurado em Orçamento para as eleições municipais em 2020.

Na mentalidade da maioria desses “nobres” e “ditos” representantes do povo, o interesse politico sobrepõe ao começo de tudo, que se inicia com a garantia do direito à vida. Ora, a vida é necessária para que futuros agentes políticos e a politica existam. Contudo, cegos pelo poder, e na ânsia por maiores prestígios, aplausos, e aumento de assombrosas quantias de dinheiro para conseguirem o que querem, tapam os olhos e ouvidos ao clamor do povo: Que se danem aqueles que têm dificuldades para bancar o padrão mínimo de vida ao sustento da família neste momento tão difícil.

Estes pais e mães de famílias, que por um percalço ou outro não tiveram a sorte de nascer em berço abastado financeiramente, são ignorados ou tratados como fantoches e tão somente requisitados e hipocritamente valorizados em época de eleição. Depois são esquecidos a própria sorte.

Com baixa estima e sem uma alternativa plausível e imediata diante da situação, o brasileiro se vê mais uma vez obrigado a ser flexível no “jeitinho brasileiro” para suster. Vê-se obrigado a adaptar-se ao mundo e não se achar que o mundo precisa se adaptar a ele. Como se já não bastasse à vida nos afrontar quase que diariamente, os políticos brasileiros ainda vão, além disso, lamentavelmente. Em resumo: Diante da situação de dificuldade o brasileiro é obrigado a dançar conforme a música e criando o seu próprio ritmo. Mas, qual é a música?

Elizeu Silva é jornalista em Mato Grosso.

Ler Anterior

Secretário de Saúde e mais dois pacientes estão curados da Covid-19 em Sinop

Leia em seguida

Moradores de rua sentem demora na atenção social do Estado