Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Grupo Petrópolis ameaça demitir 179 e fechar cervejaria em MT

O Grupo Petrópolis anunciou, nesta segunda-feira (25), a possibilidade de demissão imediata de pelo menos 179 funcionários que trabalham em empresas do grupo em sete cidades de Mato Grosso.

Os funcionários estão distribuídos nos municípios de Cuiabá, Alta Floresta, Água Boa, Juína, Pontes e Lacerda e Tangará da Serra, além de Rondonópolis, onde a empresa mantém uma cervejaria.

Em nota, o Grupo Petrópolis afirmou que a medida é decorrente da anulação dos incentivos fiscais concedidos pelo governo em meio à crise provocada pela Covid-19 (novo coronavírus).

Segundo o grupo, a demissão de quase 200 funcionários seria um processo inicial de cortes e representa 11% do quadro total de colaboradores diretos do Grupo no Estado, que é de 1.516 pessoas.

Ainda por meio do comunicado, o grupo afirma que desde 2018, quando o secretário de Estado de Fazenda Rogério Gallo tomou posse à frente da Pasta, começaram uma “série de ações contra a empresa”.

“Em abril deste ano, por decisão judicial, a empresa teve seu incentivo anulado. Fato que causou surpresa, visto que, após 10 anos de fruição do incentivo, sem nenhum apontamento em contrário, a companhia sempre cumpriu com todas as obrigações”, disse o grupo.

“O Grupo Petrópolis reduziu a carga horária e deu férias aos funcionários como forma de evitar as demissões, mas agora chegamos no limite. Não há o que fazer a não ser demitir”, acrescentou o diretor de Controladoria do Grupo, Marcelo de Sá.

Na nota, o grupo cita o Estado como um dos responsáveis pela eventual demissão em massa.

“A anulação dos incentivos fiscais concedidos pelo governo do estado de Mato Grosso ao Grupo Petrópolis, em meio à crise provocada pelo novo coronavírus (Covid-19), pode levar à demissão imediata de pelo menos 179 funcionários em diversas cidades do estado”.

“O número inicial de cortes representa 11% do quadro total de colaboradores diretos do Grupo no estado, que é de 1.516 pessoas, além da estimativa de seis mil empregos indiretos. A unidade de Rondonópolis, inaugurada em 2008, é uma das mais modernas cervejarias do país e emprega quase 750 pessoas, produzindo marcas como Itaipava, Crystal, Petra, entre outras.”, continuou a nota.

Decisão judicial

A decisão a qual a empresa faz referencia foi proferida em abril deste ano pelo juiz João Thiago de França Guerra, da Terceira Vara de Fazenda Pública de Cuiabá.

Na ocasião, ele acolheu um pedido de reconsideração do Governo do Estado, e reduziu de 90% para 60% o incentivo fiscal concedido ao Grupo Petrópolis.

Consta nos autos que em 2006, no Governo Blairo Maggi, o Grupo Petrópolis firmou um contrato com Estado para que instalasse uma fábrica em Rondonópolis (a 215 km ao Sul de Cuiabá).

Por meio do contrato, a empresa obteve acesso a incentivo de 60% de crédito presumido do valor do ICMS incidente nas operações de comercialização interna e interestadual das cervejas tipo Pilsen, pelo prazo de 10  anos.

Posteriormente, em 2010 e 2012, no Governo Silval Barbosa, as partes firmaram aditivos ampliando o crédito para 90% do valor do ICMS incidente nas operações internas e interestaduais de toda a sua produção, pelo período de 10 anos.

Em seu acordo de delação premiada, o ex-governador Silval Barbosa revelou ter renovado o benefício fiscal à Cervejaria Petrópolis, após ter recebido propina da empresa, entre os anos de 2010 e 2012.

 

Ler Anterior

Emanuelzinho muda para VG

Leia em seguida

Leo Dias acusa Anitta de usar sexo para impulsionar a carreira