Notícias de Última Hora :

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

domingo, 1 de agosto de 2021

Covid-19: o exemplo que vem da Argentina

A Argentina tem hoje uma taxa de mortalidade pela covid-19 de 10,4 óbitos por 1 milhão de habitantes. No Brasil, essa taxa é de 111,2 mortes por 1 milhão de habitantes.

A mortalidade no Brasil é 11 vezes, isso mesmo, 11 vezes maior que a observada na Argentina.

O que explica essa diferença?

A Argentina não foi pautada pelo falso dilema entre saúde e economia. Ao contrário, as ações na economia têm sustentado a eficácia das medidas de saúde.

No plano sanitário, se protegeu com isolamento social rigoroso, bem planejado nas esferas nacional e local, decretado precocemente.

No plano econômico e social, adotou medidas rápidas de proteção do seu povo para permitir que as pessoas cumprissem a quarentena mais longa até agora em todo o mundo e pudessem ficar seguras em casa.

Proibiu demissões e protegeu seus trabalhadores formais, inclusive complementando salários. Apoiou os trabalhadores informais ao instituir auxílio emergencial de 850 reais no mês de abril. Apoiou as empresas, assegurando subsídios, crédito e suspensão de impostos.

Protegeu a população mais vulnerável por meio da ampliação do cartão alimentação, programa similar ao bolsa família brasileiro.

Congelou alugueis, proibiu despejos, suspendeu cortes de serviços essenciais como água, luz, gás, telefonia e internet.

Protegeu a economia com investimento na produção de suprimentos de saúde e na reconversão de indústrias.

Criou um fundo especial para proteger os setores da cultura e do turismo.

Ampliou o orçamento destinado a obras públicas para injetar recursos na economia.

Por fim, debate no parlamento nacional o imposto emergencial sobre as grandes fortunas e iniciou uma moratória negociada da sua dívida pública.

E tudo isso só foi possível porque a Argentina tem liderança e governo nacional. Reuniu, em esforço coordenado, Estado e sociedade, setores público e privado, poderes públicos, governo e oposição.

Teríamos evitado 9 em cada 10 mortes causadas pela covid-19 no Brasil até hoje, se tivéssemos seguido por aqui o modelo argentino e alcançássemos as taxas de mortalidade de lá.

Teríamos preservado 22.317 vidas das 24.512 vítimas fatais da pandemia em nosso país até hoje. Mais que um número, são pessoas que estariam vivas, protegidas e entre os seus. Não é apenas o vírus que mata, o desgoverno também.

Lúdio Cabral é médico sanitarista e deputado estadual pelo PT.

Ler Anterior

Morre Vadão, ex-técnico da seleção feminina de futebol, aos 63 anos

Leia em seguida

Presidente do TCE cobra R$ 780 mil em ação por férias e licenças quando era médico na AL