Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

segunda-feira, 8 de março de 2021

OAB abre processo de inidoneidade moral após Selma omitir cassação por caixa dois

A juíza aposentada e senadora cassada Selma Arruda deve responder a um processo de inidoneidade moral no Conselho Pleno da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB-DF) depois de ter omitido informações para obter autorização para advogar. A decisão foi tomada pela relatora do processo Karina Amorim, nessa sexta-feira (29).

De acordo com a OAB-DF, Selma entrou com pedido de inscrição na Ordem no início de maio, duas semanas depois de ter seu mandato declarado cassado no Senado Federal. Em Brasília, Selma chegou a receber autorização para exercer a profissão. Entretanto, ao saber do caso, a OAB de Mato Grosso se manifestou contrária à decisão.

“Para conhecimento de V. Excelência, Selma Arruda foi magistrada em Mato Grosso por vários anos (se aposentou em 2018), tendo como marca indelével de sua atuação a polêmica e o pouco respeito à advocacia”, diz trecho da manifestação.

A OAB-MT informou ainda que Selma chegou a responder no Conselho Nacional de Justiça por ter atuado de forma incisiva contra advogados no Estado. Incluiu na manifestação ainda a informação de que a magistrada teve o mandato eletivo cassado por decisão do Tribunal Superior Eleitoral, pela prática de caixa dois e abuso de poder econômico.

“O fato principal, Excelentíssimo Presidente, é que hoje Selma Arruda é legalmente considerada ‘ficha suja’, ou seja, está inelegível”, escreveu.

“Ora, a LC n.º 64/90 considera Selma Arruda inidônea para receber mandato popular, ou seja, não pode representar o povo. Teria ela, então, idoneidade moral para receber mandato para representar pessoas perante a administração e Poder Judiciário? Não!”, continuou.

Com base nas informações, relatora da ação decidiu rever a decisão de liberar Selma Arruda para atuar como advogada no Distrito Federal. Contudo, determinou ainda a abertura do processo de inidoneidade porque a juíza omitiu, ao anexar as informações necessárias, que responde processos judiciais e outras informações.

Selma advogada
Juíza titular da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, especializada em organização criminosa, Selma ganhou notoriedade ao decretar a prisão de grandes políticos de Mato Grosso, como o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, e do ex-governador Silval Barbosa.

Em abril de 2018, porém, Selma pediu aposentadoria e se filiou ao PSL, lançando-se à carreira política após muita especulação partidária. Contudo, a vida política da magistrada, que viria a ser eleita a senadora mais votada naquele ano, durou pouco.

Em abril de 2019 ela teve o mandato cassado por caixa dois e abuso de poder econômico na Justiça Eleitoral mato-grossense. Ela recorreu e levou a decisão para o Tribunal Superior Eleitoral, que em dezembro daquele ano firmou o mesmo entendimento, decretando a perda do mandato. Já em abril de 2020 o Senado deu fim ao rito de cassação, declarando a vacância do cargo.

Depois de todo o trâmite, Selma alegou que teria sido vítima de perseguição política. Chegou a manifestar diversas vezes que combater a corrupção não era fácil e anunciou que, com o fim do mandato, passaria a advogar.

Ler Anterior

Caixa abre no próximo sábado para saque de auxílio emergencial

Leia em seguida

Corinthians se posiciona oficialmente contra o retorno do futebol