Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

sexta-feira, 5 de março de 2021

Mulheres não devem lavar suas vaginas por dentro

No mês de julho, circulou na internet uma polêmica sobre a Blossom Brush – uma “escova vaginal” que foi pensada para fazer a higiene interna da vagina durante a menstruação, tirar possíveis detritos do período e deixar as mulheres mais “limpas”.

Em pouco tempo, ginecologistas passaram a usar as redes sociais para desaconselhar às mulheres o uso da escova. Além dos riscos que o uso trazia, os profissionais criticaram a venda da ideia de que tanto o interior da genitália feminina quanto o sangue da menstruação fossem coisas sujas. A repercussão negativa foi tamanha que o site e o produto saíram do ar.

A ginecologista Monique Novacek garante: não, o sangue da menstruação não tem nada a ver com sujeira.

“É um sangue que está vindo diretamente do útero, uma secreção estéril até o momento em que entra em contato com o meio externo. As pessoas acham que é sujo por conta do cheiro forte, mas ele vem do absorvente externo, não do sangue”, explica a médica.

A escova seria uma solução para que mulheres limpassem o interior da vagina durante a menstruação

Segundo Monique, a higienização interna vaginal não só não é necessária (menstruada ou não), como pode trazer diversos riscos à saúde, como a alteração do pH natural, a retirada de leucócitos de defesa e a proliferação de organismos que não são naturais ao corpo.

Esse risco é ainda maior com o uso de acessórios específicos, como a Blossom Brush. “A mulher pode se machucar tanto no ato da colocação, na questão da profundidade, quanto de ter uma laceração da parede vaginal”, alerta.

Como higienizar?

Existe uma forma certa para higienizar a região íntima, e, de acordo com a ginecologista, a primeira regra é lavar a vulva, não a vagina. “É importante diferenciar vulva de vagina. Vulva é a parte de fora, externa. Vagina é a parte de dentro, que não deve ser lavada”, explica.

Para lavar, o ideal é estar no banho ou ter uma ducha higiênica. A limpeza é feita com água e sabão neutro – não existe necessidade de produtos especiais. “Sabonetes íntimos de farmácia alteram o pH natural”, diz.

Durante o período menstrual, o processo é o mesmo. O que muda é a frequência das lavagens. O ideal, segundo Monique, é que a cada troca de absorvente, se possível, a vulva seja lavada para dar uma sensação maior de limpeza.

Às mulheres que se sentem incomodadas ao entrar em contato com o sangue, a dica da médica é utilizar absorventes internos ou mesmo coletores menstruais. Mas nada de escovas vaginais, hein?

Fonte-METROPOLES

Ler Anterior

Criança de 5 anos relata que sofreu abusos do avô em MT

Leia em seguida

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT