Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

terça-feira, 2 de março de 2021

Ex-chefe do Procon terá que se manter afastado da ex por 6 meses

A 2ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Cuiabá determinou que o ex-superintendente do Procon municipal, Gustavo Costa e Silva, não se aproxime da ex-esposa pelo prazo de seis meses.

Acusado de violência doméstica, ele também foi obrigado a entregar sua arma às autoridades policiais, além de estar impedido de vistar o filho menor e ter que pagar uma pensão alimentícia para a ex.

A sentença, que confirma os termos de uma liminar concedida anteriormente, foi assinada na terça-feira (4) pela juíza Tatiane Colombo, titular da Vara.

A agressão contra a mulher ocorreu no ano passado, em Cuiabá.

Em sua defesa, Gustavo negou ter agredido a vítima e afirmou que as “imputações criminosas contidas nos autos são inverídicas”. Ele afirmou ainda que tem autorização de posse e porte de arma, emitida por “autoridade competente”. E pediu a revogação das medidas determinadas na liminar ou, ao menos, a flexibilização delas.

A juíza, no entanto, não acatou seus argumentos.

“No caso em apreço, a probalidade do direito decorre da demonstração da existência de violência doméstica, o que se vê, ao menos neste momento, através do Boletim de Ocorrência contido nos autos e das declarações da Requerente perante a autoridade policial, bem como dos demais documentos acostados no feito”, escreveu a magistrada.

“Por sua vez, o perigo de dano resta demonstrado desde o início da lide, dada a urgência de coibir possíveis situações de violência doméstica que, em suma, ocorrem dentro do lar conjugal, em regra, sem a presença de testemunhas, o que torna necessária a manutenção das medidas deferidas”.

Ainda na decisão, a juíza ainda determinou que, com o trânsito em julgado da ação e transcorrido o prazo de seis meses das medidas protetivas, a PF dê baixa na suspensão da posse e porte de arma concedidos a Costa e Silva.

Exoneração

Em novembro do ano passado, Costa e Silva pediu exoneração do cargo no Procon alegando problemas particulares.

Na época, chegou-se a especular que ele teria intenção de se candidatar a vereador na Capital. Ele estava no cargo desde o início da gestão de Emanuel Pinheiro (MDB).

Ler Anterior

Em live, TRE aponta regras para eleições municipais e suplementar em tempo de covid-19

Leia em seguida

Sikêra Jr. é condenado a pagar R$ 300 mil para modelo trans