Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

TCE exige que prefeitura preste contas de gastos com Covid em MT

O Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), por meio do conselheiro Isaías Lopes da Cunha, determinou cautelarmente que a Prefeitura de São José dos Quatro Marcos disponibilize, em campo específico, todas as informações referentes às dispensas de licitação para aquisição de insumos de combate à Covid-19, bem como que encaminhe toda documentação, por meio do Sistema Aplic, à Corte de Contas.

A Medida Cautelar foi solicitada em Representação de Natureza Interna proposta pela Secretaria de Controle Externo de Contratações Públicas do TCE-MT, em razão de supostas irregularidades relacionadas à ausência de envio, quando solicitado, e de disponibilização, no sistema Aplic e em portal oficial específico, dos documentos relativos aos processos licitatórios para aquisição de insumos de combate à Covid-19.

De acordo com o conselheiro, foi constatado que das três dispensas de licitação encaminhados pela prefeitura por meio do Sistema Aplic, apenas duas foram realizadas após a decretação do estado de calamidade pública decorrente da Covid-19 e referem-se à contratação emergencial de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e motoristas.

Além disso, continuou Isaías Lopes, da análise do Portal Transparência da prefeitura, observou-se que os documentos referentes às licitações divulgados no “Portal Coronavírus (Covid 19)” não são específicos de combate à Covid-19, bem como que os relativos às dispensas de licitação estão inseridos de forma equivocada.

“Compulsando os autos denota-se que a Prefeitura Municipal tem efetuado diversas   aquisições de produtos e insumos destinados ao combate à covid-19, tais como máscaras,   luvas, álcool líquido e em gel, dentre outros, sem, contudo, encaminhar os respectivos procedimentos de dispensa de licitação à este tribunal por meio do Sistema Aplic e sem disponibilizá-los no Portal Transparência do Município”, apontou o conselheiro.

Em sua decisão, Isaías Lopes assinalou ainda que não assiste razão a alegação da defesa de que tais documentos não foram encaminhados por se tratar de aquisições de baixo valor e que, mesmo após a  solicitação efetuada via e-mail pela unidade técnica do TCE-MT e a citação para manifestação prévia na representação, o gestor não encaminhou as dispensas de licitação.

“Diante disso, constata-se a ausência de efetiva e integral transparência e publicidade dos atos administrativos da Prefeitura de São José dos Quatro Marcos, especialmente das contratações para enfrentamento da Covid-19. Soma-se a isso o fato de que, mesmo após a solicitação via e-mail e a citação para manifestação prévia, o gestor não encaminhou a documentação questionada. Portanto, evidencia-se o risco iminente de pagamentos oriundos de procedimentos eivados de vícios, o que impõe a adoção de medidas urgentes e imediatas por parte deste tribunal”, sustentou o conselheiro.

Foi estipulado o prazo de cinco dias, a partir da publicação da decisão, para que o gestor cumpra as determinações cautelares.

O Julgamento Singular N° 568/ILC/2020 foi publicado no Diário Oficial de Contas (DOC) desta terça-feira (18) e ainda será analisado pelo Tribunal Pleno, que decidirá pela homologação ou não da medida cautelar.

Ler Anterior

Secretária do TCE-MT debate oportunidades e desafios do controle social em live do TCE-CE

Leia em seguida

“Se forem honestos, policiais vão considerar assassinato”, diz mãe de Isabele