Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

quarta-feira, 3 de março de 2021

Corinthians assina contrato para batizar estádio por 20 anos

O Corinthians fechou acordo para o naming rights de sua arena. Seis anos depois da inauguração do estádio em Itaquera, palco da abertura da Copa do Mundo de 2014, o clube assinou na quinta-feira da semana passada contrato estimado em R$ 300 milhões pela concessão do nome da arena pelos próximos 20 anos. O valor não é confirmado pelo clube, assim como outros detalhes da transação. O nome da empresa também é guardado a sete chaves e será divulgado oficialmente em 1º de setembro, data em que o Corinthians completará 110 anos. A parceria ajudará no pagamento da dívida do estádio e também no time de futebol, como queria o presidente Andrés Sanchez. Ainda não está definido como a marca será utilizada totalmente no clube. O site UOL informou nesta quinta-feira que se trata da Hypera Pharma, conglomerado farmacêutico que já foi parceiro do Corinthians num passado recente. Andrés não confirma nem nega. Procurada pelo Estadão, a empresa não retornou as chamadas. Em 2010 e 2011, o clube estampou em sua camisa a marca Neo Química, pertencente ao grupo em questão. Nesta semana, também foi ventilado o nome da empresa Magazine Luiza, a Magalu, mas a empresa negou a informação. Disse não estar negociando com o Corinthians para batizar o seu estádio.

O naming rights da arena conta com aprovação da Odebrecht e da Caixa Econômica Federal, com quem o clube se endividou para construção da obra. O banco informa que o Fundo da Arena Corinthians deve R$ 536 milhões. O clube contesta e diz que a dívida está em torno de R$ 485 milhões.

A discussão foi parar na Justiça no ano passado, mas o processo está suspenso para tentativa de negociação. Com a construtora, o Corinthians alega ter quitado boa parte do que deve. A Odebrecht fala em R$ 160 milhões.

O presidente Andrés Sanchez vem dando pistas na sua conta do Twitter sobre a negociação. Nesta quinta-feira, ele escreveu:

Parabéns, bem-vinda, vai, Corinthians”, sem dar mais pistas sobre o que estaria falando. Pessoas ligadas a ele dizem que é sobre a promessa feita no passado de conseguir o dinheiro para bancar o estádio do time. No domingo, ele postou: “Estamos bem perto. Já já vem, mas nunca esteve na camisa do Timão”. O recado serviria para afastar a hipótese de que a nova parceira seria a Hypera Pharma e o Magalu, ambas as empresas já estamparam suas marcas no uniforme corintiano.

O presidente do Corinthians comandou ele próprio toda a negociação com a empresa, com cláusulas de sigilo.

O acordo firmado na quinta passada coloca fim à principal dor de cabeça da diretoria nos últimos anos. O Corinthians tenta vender os naming rights do seu estádio desde o início das obras. São dez anos.

A demora para fechar um acordo geraram dívidas e processos na Justiça. Em 2012, o então vice-presidente Luis Paulo Rosenberg chegou a comentar que estava próximo de um final feliz e disse que negociava com empresas voltadas para o setor de consumo. Não deu certo

Andrés, nesse período, comentou que quem oferecesse R$ 400 milhões garantiria o naming rights da casa alvinegra. Esse era o valor pedido na inauguração do estádio – R$ 100 milhões a mais do que o Palmeiras conseguiu com o Allianz Parque. O processo do Corinthians para obter um parceiro foi mais desgastante do que seu rival. A seguradora Allianz fechou rapidamente com a WTorre para explorar o nome da arena alviverde por 20 anos antes da construção do local.

Fonte       https://www.terra.com.br/esportes/corinthians/corinthians-assina-contrato-para-batizar-estadio-por-20-anos,5d3ad9148f2dbd38fcf3ed7688b0e1f8q3ndy486.html

Ler Anterior

TJMT desenvolve robô para PJe integrado ao Bacenjud

Leia em seguida

Governo anuncia que auxílio emergencial passará a ser de R$ 300 até dezembro