Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

domingo, 7 de março de 2021

Mulher diz à Polícia que advogado tentou estuprá-la em escritório

Uma mulher de 30 anos procurou a Polícia Civil, na última sexta-feira (11), para formalizar uma acusação de tentativa de estupro contra o advogado Cleverson Campos Contó. Ela integra um grupo de mais de 10 mulheres que alegam ter sido vítimas de violência por parte dele.

A tentativa de estupro foi relatada para a delegada Jozirlethe Criveletto, titular da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá.

Ela disse que por causa de diversas discussões com o advogado – que “a humilhava” -, decidiu deixar o emprego.

 

Seis anos depois, em 2018, ela conta que estava em um supermercado na Capital e encontrou o advogado. Contó disse a ela que precisava de uma secretária e a convidou para uma entrevista de emprego.

A vítima começou a puxar suas calças tentando impedir que o suspeito tirasse-as, e mesmo suplicando para parar o agressor que continuou dizendo ‘Deixa eu ver sua calcinha’

Em seu relato, ela disse que aceitou o convite acreditando que o advogado teria amadurecido. A mullher disse que foi fazer uma entrevista para o emprego, e que tudo ocorreu normalmente até que, ao terminar as perguntas, Contó se levantou e se posicionou ao lado dela.

“Ele ficou ao meu lado passando as mãos em meu ombro. Eu fiquei paralisada me questionando se ele estava insinuando algum ato sexual. Na dúvida, decidi me levantar e deixar a cadeira entre eu e ele”, diz trecho do termo de declaração.

“Deixa eu ver sua calcinha”

Ao notar que ela se levantou, o advogado foi até ela, colocou as mãos sobre a calça  e conseguiu abrir o botão e o zíper.

“Por trás forçou tirar a calça da declarante conseguindo abrir o botão e o zíper; que a vítima começou a puxar suas calças tentando impedir que o suspeito as tirasse, e mesmo suplicando para parar o agressor continuou dizendo ‘Deixa eu ver sua calcinha’”, contou.

Ela relatou ainda que nesse momento conseguiu se desvencilhar dos braços do advogado e correu para fora do escritório.

“A declarante (…) correu para a porta saindo do local; que a mesma continuou olhando para atrás temendo que o suspeito estava lhe seguindo, porém o mesmo não a perseguiu e a vítima”, afirmou.

À delegada, ela revelou que por se sentir envergonhada não relatou o caso anteriormente, mas que com a exposição de diversos casos com o advogado, decidiu procurar a Polícia Civil.

“A declarante ressalta que pelo fato de ter tido seu íntimo violado se sentiu envergonhada e decidiu vir até esta especializada registrar os fatos motivada pelas denúncias das outras vítimas do agressor”, consta em boletim.

 

Veja trecho do boletim de ocorrência:

 

 

Acusações

Um grupo de mulheres se reuniu nesta semana, em Cuiabá, para denunciar uma série de agressões que teriam sido cometidas pelo advogado.

 

Elas relataram abusos físicos, psicológicos, sexuais e patrimoniais. Uma das denúncias – uma representação criminal – foi feita na Vara Especializada da Violência Doméstica do Ministério Público Estadual (MPE).

 

Os relatos apontam que rotineiramente, em relações distintas, o advogado teria o hábito de agredir suas companheiras. Socos, pontapés, empurrões, puxões de cabelos, relações sexuais forçadas, xingamentos e tapas eram constantes na vida das mulheres que se relacionaram com ele, conforme a representação.

Uma delas, a médica Laryssa Moraes, contou que a violência começou a ser praticada de maneira sutil, depois que ele tentou acessar conversas pessoais em seu celular. A justificativa era de que, em um relacionamento, não deve haver nenhum segredo.

Ela contou, em seu perfil no Instagram, que Cleverson chegou a tentar estuprá-la com um pen-drive.

Já a empresária Mariana de Mello Vidotto relatou que o início do relacionamento foi uma espécie de conto de fadas.

Segundo a representação, “infelizmente tudo aquilo não passou de uma ilusão para o agressor levar a vítima para o seu covil de agressões diárias verbais, físicas e sexuais”.

A empresária chegou a relatar que as agressões eram sempre sucedidas de pedidos de perdão, promessas de melhora, de tratamento psicológico, igreja, presentes e demonstrações de amor, flores, etc.

Ler Anterior

Fogo consome área turística e destrói escadaria da Dolina Água Milagrosa

Leia em seguida

Após peões ficarem sem carne, Jojo Todynho sugere matar galinha