Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

segunda-feira, 8 de março de 2021

A luta pela sobrevivência do maior felino das Américas em meio às queimadas históricas no Pantanal

Parque que abriga maior concentração de onças-pintadas em todo o mundo teve mais de 70% de sua área atingida pelo fogo.

Na tarde da última sexta-feira (11/09), um helicóptero da Marinha do Brasil levantou voo com um passageiro incomum: uma onça-pintada. Durante o transporte aéreo, os olhos assustados do bicho, resgatado no Pantanal, em nada lembravam o felino destemido que costumava se aproximar dos barcos, característica que fez com que ele passasse a ser conhecido na região como Ousado.

Horas antes de entrar no helicóptero, o animal havia sido localizado por uma equipe de voluntários que auxiliam no resgate aos animais no Pantanal, que passa pelo pior período de queimadas das últimas décadas.

Ousado estava caído no Parque Estadual Encontro das Águas, na região de Porto Jofre, na cidade de Poconé (MT), quando foi encontrado pelos voluntários, que passavam de barco pela região. O felino estava com as patas queimadas. Ele apresentou postura agressiva e teve de ser anestesiado para que fosse retirado do local.Localizado no Pantanal, o Parque Estadual Encontro das Águas é considerado o lugar com a maior concentração de onças-pintadas do mundo. Nas últimas semanas, porém, o local se tornou extremamente perigoso para os felinos. Isso porque dos 108 mil hectares da reserva, 77 mil foram atingidos pelo fogo até o momento, segundo dados do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso.

Assim como no parque, o fogo tem avançado com rapidez por todo o Pantanal, que já teve mais de 2,3 milhões de hectares atingidos por queimadas, segundo o Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo). O número representa mais de 15% de toda a extensão do bioma no Brasil, conforme o Instituto SOS Pantanal. A área queimada corresponde, por exemplo, a quase três vezes a região metropolitana de São Paulo, que abriga 39 municípios, ou 15 vezes a área da capital paulista.

Onça-pintada foi resgatada no Parque Estadual Encontro das Águas, no Pantanal, na última sexta-feira (11) — Foto: Ministério da Defesa/via BBCOnça-pintada conhecida como 'Ousado' estava caída no Parque Estadual Encontro das Águas — Foto: Ministério da Defesa/via BBC13 de setembro - Onça-pintada é vista em área recentemente queimada no Parque Estadual Encontro das Águas, no Pantanal, perto de Poconé — Foto: Andre Penner/APSebastião Baldi Silva Junior, de 40 anos, tenta apagar um incêndio em uma fazenda no Pantanal, a maior área úmida do mundo, em Poconé (MT) — Foto: Amanda Perobelli/ReutersUma onça-pintada se esfrega na vegetação enquanto caminha em meio à fumaça de um incêndio próximo no Parque Estadual Encontro das Águas, no Pantanal — Foto: Amanda Perobelli/Reuters

Em anos anteriores, a área do Parque Encontro das Águas já havia pegado fogo. “Mas nunca nas proporções atuais”, comenta Tortato.

Ele explica que, em anos anteriores, as onças conseguiam fugir para outras localidades, como propriedades rurais próximas. Atualmente, porém, é difícil que os animais encontrem uma região segura no Pantanal, na qual não haja risco de serem atingidos pelo fogo.

O pesquisador afirma que ainda não sabe qual será o impacto dos incêndios às onças-pintadas. Ao explicar as consequências para a fauna do Pantanal, ele cita que há efeitos diretos, quando o animal é atingido pelo fogo, e indiretos, quando faltam água ou alimentos.

Ler Anterior

Neto dispara contra protesto de torcedores: ‘Vão rebaixar o Corinthians de novo’

Leia em seguida

Bolsonaro diz que ‘está proibido’ falar em Renda Brasil e afirma que Bolsa Família vai continuar