Notícias de Última Hora :

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

Empresa de aparelhos auditivos faz atendimento humanizado a pacientes

Um baile de máscaras em meio à pandemia

sábado, 6 de março de 2021

TCE libera Estado para fazer compras emergenciais no combate a Covid

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) deu “sinal verde” para uma dispensa de licitação do Governo de Mato Grosso no valor de R$ 7,4 milhões. O negócio, que também não tem contrato, refere-se a aquisição de ventiladores mecânicos para UTI e transporte como equipamentos para serem utilizados no combate ao novo coronavírus (Covid-19).

Em publicação desta terça-feira (15), o conselheiro Domingos Neto explicou que os técnicos do órgão concluíram pela “regularidade” no processo. O membro do TCE-MT concordou com a análise do órgão, mas expediu algumas recomendações aos gestores público – em especial ao secretário de estado de saúde (SES-MT), Gilberto Figueiredo.

Adote as medidas cabíveis para promover a divulgação completa do inteiro teor de todos os processos de aquisições emergenciais destinados a combater a Covid-19”, determinou o conselheiro Domingos Neto.

O CASO

Além do TCE-MT, onde tramita um processo administrativo que apura a aquisição dos respirados, o mesmo caso também é analisado pelo Poder Judiciário de Mato Grosso (TJMT). O Governo de Mato Grosso admitiu que nunca houve um contrato para a aquisição de respiradores de uma empresa chinesa – Ambulanc (Shenzhen) Tech. -, e que custou aos cofres públicos do Estado R$ 7,4 milhões. Os equipamentos de saúde foram adquiridos com a justificativa para tratamento dos habitantes de Mato Grosso que contraíram o novo coronavírus (Covid-19).

A informação consta de um processo onde o autor exige na Justiça a publicação de dados acerca da aquisição milionária. Por meio de uma ação popular, interposta no Poder Judiciário Estadual, ele alega que o negócio foi permeado por irregularidades como falta de transparência e que pelo menos dois médicos – o pneumologista Wagner Malheiros e o deputado estadual Lúdio Cabral (PT) -, informaram que os respiradores não são indicados ao “alongamento do tratamento” do Covid-19.

Na avaliação do Governo de Mato Grosso, o contrato não seria “necessário”, e revela que seguiu uma orientação da Controladoria-Geral do Estado (CGE) para não formalizar o negócio por meio de um documento de praxe, como o próprio contrato de aquisição de bens. A compra também foi realizada por dispensa de licitação, ou seja, não houve disputa entre empresas para fornecer os equipamentos de saúde.

Ler Anterior

PTB tem debandada após lançar candidatura de deputado federal em VG

Leia em seguida

Projeto de Lei propõe que escolas estaduais recebam nome de educadores