Notícias de Última Hora :

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

domingo, 1 de agosto de 2021

Derrapagem

A precípua básica do jornalismo consiste em pautar sempre pela verdade doa a quem doer, independentemente de cor partidária, ideologia, posicionamento político e por aí vai.

A chamada em questão não se refere à derrapagem de um carro, pelo simples fato de o mesmo   perder o controle, motivado por uma freada brusca, ocasionando assim, uma derrapagem perigosa.

Reporto-me, ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ao indicar o nome Kassio Nunes Marques, ao Supremo Tribunal Federal (STF), para preencher a próxima vaga que será aberta, com a saída do decano Celso de Mello, (para maioria da população brasileira, já vai tarde).

Nos dias atuais, um termo vem sendo bastante usado que se refere à biografia, que é um texto, que narra à vida de alguém, neste caso especifico, trata-se de Kassio Nunes Marques.

Kassio Nunes Marques, 48, é juiz do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) desde 2011, chegando ao cargo, nomeado pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT), por conseguinte, tem proximidade com os caciques políticos do MDB e do PP, incluindo Siro Nogueira (PP-PI), ligados a Arthur Lira (PP), um dos líderes do Centrão na Câmara.

O novo indicado, pasmem os senhores, conta com o aval do Ministro Gilmar Mendes, e pelo que tudo indica, chegando à corte, por certo deverá reforçar o movimento contrário à operação Lava Jato.

Diante dessa situação complicada e de difícil compreensão, a indicação do mesmo, acabou causando perplexidade e indignação às pessoas, principalmente pela forma da condução, na tomada de decisão por parte do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Quando o mesmo, reuniu-se na noite de sábado (3) com o ministro Dias Tofffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), além do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o indicado Kassio Nunes Marques, reunião esta, que não constava na agenda das autoridades.

Sob pretexto de assistir ao jogo Palmeiras x Ceará, pela 13ª rodada do Brasileirão; concomitantemente acabaram discutindo questões políticas, relativas à indicação do substituto do decano Celso de Mello no (STF).

Sabemos, que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-PA); por certo irá usar a mesma tese apresentada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), para emplacar a reeleição como aconteceu em 1997 a cargos do Executivo para tentar se manter  por mais dois anos no comando da Casa.

Entre mortos e feridos, sobraram apenas insatisfações por parte de muitos abnegados apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido); principalmente pelas constantes tomadas de decisões por parte da Suprema Corte (STF), algumas delas, de forma monocrática e atabalhoada.

Explicitando dessa forma, o que chamamos de “ministrocracia” a política constitucional se torna errática, criando problemas para a justificação do poder do tribunal em um regime democrático.

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo.

 

Ler Anterior

Mato Grosso supera previsão, arrecada R$ 13 bilhões e Governo já prevê ampliação de investimentos

Leia em seguida

Deputado Thiago Silva viabiliza reunião com Unemat e comitiva de Poxoréu