Notícias de Última Hora :

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Liderada por deputado, organização criminosa era divida em 5 núcleos

De acordo com a investigação, o grupo é acusado de fraudar e direcionar o resultado de vários certames licitatórios

 

A Operação Chapéu de Palha, deflagrada pela Polícia Federal, nessa quarta-feira (9), trouxe à tona que o grupo era supostamente liderados pelo deputado estadual Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD), e seu irmão, o prefeito de Itiquira, Humberto Bortolini, o Betão (PSD).

De acordo com a investigação, o grupo é acusado de fraudar e direcionar o resultado de vários certames licitatórios e, após receber o valor dos contratos, “pulverizava” o dinheiro, ou seja, pagava as propinas.

As transações eram feitas com pequenos valores, para não chamar atenção das autoridades, variando entre R$ 18 mil e R$ 500 mil.

 

De acordo com o MPF, o esquema se dividia em coordenação, grupo gerencial, grupo operacional, grupo acessório e grupo de execução.

Faziam parte do grupo gerencial, de acordo com o Ministério Público Federal, o servidor de Itiquira Marco Antônio Souza Fonseca, seus pais, o engenheiro da Construtora Pirâmide, Antônio César Fonseca e Ana Maria de Moraes e Souza. Eles teriam recebidos 20 transações suspeitas.

O grupo operacional era composto supostamente pelos empreiteiros Paulo Rocha dos Santos, Ivaldo de Freitas  Uashington Paim Neto de Assunção.

 

Depois de receber os valores dos contratos, os empresário chegaram a fazer saques de moeda corrente em até R$ 4 milhões, os quais o MPF acredita que seja para realizar a distribuição entre a suposta organização.

O grupo acessório era composto supostamente por deputados estaduais e alguns assessores.

Na base da pirâmide estavam servidores dos municípios onde ocorriam as supostas fraudes e do Estado, agentes públicos, laranjas e familiares dos envolvidos.

 

Apesar de negar qualquer envolvimento, o deputado Nininho foi acusado de enviar emendas parlamentares para os municípios do Sul, onde suas empresas e de seu irmão eram beneficiadas com as licitações, veja vídeo abaixo onde Nininho dá sua versão.

Uma rotatividade era feita com os empreiteiros do grupo operacional, para não levantar suspeitas.

O valor era sempre fatiado entre o grupo.

Ler Anterior

Jogador brasileiro é confundido por bandidos nos Estados Unidos

Leia em seguida

Acidente deixa um morto na rodovia dos imigrantes