Notícias de Última Hora :

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

segunda-feira, 26 de julho de 2021

Guarani vê ‘equívoco’ da CBF por não adiar jogo com 17 desfalques pela Covid

Time tentou adiar jogo com o Cuiabá, mas pedido foi negado; eles perderam por 4 a 0

O presidente do Guarani, Ricardo Moisés, classificou como um “equívoco” da CBF o não adiamento da partida contra o Cuiabá disputada nesta quinta-feira (14), na Arena Pantanal, pela 35ª rodada da Série B.

Em entrevista coletiva concedida nesta sexta (15), o mandatário bugrino disse que a entidade deveria ter adiado o confronto. Com 17 jogadores infectados com Covid-19 e apenas 13 saudáveis à disposição para o jogo, o Guarani solicitou à CBF que mudasse para a partida para o dia 27 de janeiro, mas não foi atendido.

A entidade alegou problemas no calendário e sugeriu que o duelo acontecesse nesta sexta, mas o clube de Campinas preferiu jogar o quanto antes para retornar para casa o mais breve possível.

Com apenas dois atletas no banco de reservas e jogadores recém-recuperados de Covid-19 em campo, o Guarani acabou derrotado por 4 a 0 e ficou mais distante da briga pelo acesso.

“O relacionamento do Guarani com a CBF é muito bom. Temos uma proximidade muito grande com o Rogério Caboclo [presidente], com o Walter Feldman [secretário-geral]. Acho que, após o jogo, fica mais fácil falar, e ficou claro que os atletas do Guarani não tinham condições de realizar o jogo. Acredito que houve um equívoco e que, se fosse reanalisado, seria adiado para o dia 27, conforme solicitação do Guarani”, disse o presidente bugrino.

Questionado se faltou bom senso à CBF, Ricardo Moisés afirmou: “Se fosse melhor avaliado, o jogo teria sido adiado e teria evitado situações como a do nosso lateral esquerdo passando mal. Acredito que hoje, diante de tudo que aconteceu, caso ocorra situações assim, serão melhores avaliadas”.

Ricardo Moisés explicou a decisão do Guarani em jogar na quinta e disse que o próprio elenco preferiu retornar à Campinas o quanto antes por conta do surto.

 

“A gente fez um requerimento à CBF pedindo o adiamento do jogo para o dia 27. Ainda na manhã, por volta das 12h, foram confirmados mais dois casos e, diante de toda essa situação, entramos em contato com a CBF e explicamos que só tínhamos 12 jogadores concentrados em Cuiabá. Eles mencionaram que só haveria possibilidade de alteração de ontem para hoje, e não para o dia 27”, disse.

“Em conversa com o departamento de futebol, os atletas que foram detectados [com Covid-19] e estavam concentrados queriam voltar para casa o mais rápido possível, para ter cuidados médicos adequados e não permanecer mais em Cuiabá. Então, o conselho de administração e o departamento de futebol optou por esse sacrifício que o Lucas Abreu fez de pegar um voo de 2 horas e chegar em cima do jogo em prol da coletividade, de todo elenco, para diminuir o sofrimento dos jogadores em Cuiabá”, acrescentou.

Por fim, Ricardo Moisés sugeriu que a CBF altere o protocolo que vem sendo utilizado para definir se haverá ou não jogo por conta de surtos de Covid-19.

 

“O protocolo tem uma interpretação dúbia. O Guarani tinha 13 atletas aptos, porém, um estava em Campinas, e tinham 12 em Cuiabá. Vale uma reavaliação do protocolo para esclarecer esse ponto, onde o ideal seria que mais de 13, porque vimos que não é suficiente. Tinha que ser mencionado 13 atletas aptos no local da partida, e não de atletas inscritos, como consta hoje”, completou.

O Guarani volta a campo na próxima quarta (20) para receber o Vitória no Brinco de Ouro da Princesa, pela 36ª rodada da Série B.

O time bugrino deve ser reforçado por sete jogadores que terminam o isolamento por Covid-19 na segunda (18): os goleiros Gabriel Mesquita e Jefferson Paulino, os zagueiros Bruno Silva, Wálber e Victor Ramon, o meia Lucas Crispim e o atacante Waguininho.

Também retorno o meia Arthur Rezende, que cumpriu suspensão diante do Cuiabá.

 

Ler Anterior

Cuiabá goleia Guarani ‘remendado’ por casos de covid na Série B

Leia em seguida

Fordlândia: as lições da incrível cidade esquecida da Ford na Amazônia