Notícias de Última Hora :

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

quarta-feira, 23 de junho de 2021

PF deflagra operação contra à comercialização ilegal de ouro, em garimpos clandestinos em MT

Foi deflagrada nesta terça-feira (02), duas operações pela Polícia Federal. A primeira, denominada Operação “Ouro Sujo”, como referência à clandestinidade da extração e comercialização do ouro. E foi realizada nas cidades de Pontes e Lacerda e Vila Bela de Santíssima Trindade[cidades que ficam no medio oeste de Mato Grosso). Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária expedidos pela 5ª Vara Federal de Cuiabá.

A outra – realizada nesta terça – recebeu o nome de Papagaio de Ouro, Fase 3, com a participação de 60 policiais federais, quando foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária, nos municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Pontes e Lacerda e Peixoto de Azevedo. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Federal de Cáceres/MT.

Essa investigação é desdobramento da anterior que levou o mesmmo nome – Operação Papagaio de Ouro – deflagrada em 2020 que resultou na prisdão dos responsáveis por um garimpo clandestino em Nova Lacerda, havendo suspeitas que tenham extraído e comercializado mais de uma tonelada de ouro de forma ilícita.

Agora, esta 3ª mira os responsáveis por adquirir ilegalmente o minério extraído desse garimpo. Investigações da PF apontam que o ouro ilegal seria “esquentado” através da mistura com o de procedência legal, dificultando o rastreio de sua origem.

Operação Papagaio de Ouro faz referência ao Córrego do Papagaio, local onde a investigação teve início, em que a Polícia Federal recebeu uma denúncia de que a área estava sendo poluída com os rejeitos de um garimpo ilegal..

A legislação brasileira prevê que a compra de ouro somente pode ser realizada por instituições credenciadas pelo Banco Central do Brasil, desde que tenha sido extraído por pessoas autorizadas pela Agência Nacional de Mineração.

O grupo investigado teria realizado movimentações ao entorno de pelo menos R$ 100 milhões, em cinco anos.

Dentre as estratégias para não serem descobertos estaria, inclusive, um que utilizou as contas bancárias da própria filha de nove anos. Nesta conta ele movimentou R$ 10 milhões.

Os trabalhos estão ainda em curso pela Polícia Federal. Assim, ainda buscam levantar mais provas e, claro, aprofundar na investigação, realizando um ‘pente-fino’, no patrimônio dos envolvidos, para saber o que foi adquirido por meio do crime.

A Justiça Federal também determinou o sequestro de imóveis e veículos, bloqueio de contas bancárias e até a suspensão das atividades de uma empresa que estaria atuando como se fosse uma instituição financeira clandestina em Pontes e Lacerda.

Ler Anterior

Detran altera horário de atendimento nos shoppings de Cuiabá; demais unidades seguem com agendamento

Leia em seguida

Grêmio volta ao CT para semana de estreia e decisão