Notícias de Última Hora :

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

sábado, 19 de junho de 2021

Mesmo negando pedido de prefeito, Pinheiro avalia que juiz reforçou seu objetivo de debater troca de modal

Está garantida judicialmente a participação da população na escolha do melhor modal de transporte para a região do Vale do Rio Cuiabá. De acordo com decisão tomada pelo juiz Ciro José de Andrade Arapiraca, da 1ª Vara Federal Cível e Agrária de Mato Grosso, nesta última terça-feira (16), caso o governo do Estado queira, de fato, implantar o BRT [Transporte Rápido por Ônibus], em substuitição ao Veiculo Leve sobre Trilhos, em Cuiabá e Várzea Grande, terá que realizar debates, consultas e audiências públicas.

Ainda que o magistrado tenha sido, igualmente claro, quanto a negar ao prefeito emedebista, Emanuel Pinheiro, a suspensão do processo administrativo em trâmite, para a alteração do modal de transporte público coletivo intermunicipal, na Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá. Pinheiro havia buscado na Corte de Justiça, impedimento do governo do Estado na troca dos modais, sob o argumento que os prefeitos da capital e de Várzea Grande, Kalil Baracat(MDB), não teriam sido ouvidos..

Precisa, contudo, ser salientado que o gestor da cidade vizinha da capital, Kalil Baracat, avalizou – em janeiro deste ano -, a implantação do BRT, chegando a pedir ao governador democrata que a mudança para o Bus Rapid Transit, começasse por Várzea Grande, ao avaliar que a cidade foi a “mais prejudicada” com a paralisação das obras do VLT.

“Eu peço que me ouça e ponderem o que diz o prefeito e o que diz o governador. Há quanto tempo eu venho falando que Cuiabá não foi ouvida? Que Várzea Grande não foi ouvida? mas lá tem prefeito e eu vou falar pela minha terra. Tem setores da imprensa que acreditaram e bateram em mim, vereadores, deputados que acreditaram no Governo, o prefeito está dizendo que não foi ouvido. Então tem que ir pra justiça, você acha que eu quero ir para a justiça? Eu queria poder dialogar, mas não tem diálogo, é tudo goela abaixo, decisões tomadas por dois ou três. Aí a justiça vem e coloca os pingos nos ‘is’. Não está na hora de suspender ainda, mas prova para gente que a Prefeitura foi ouvida, se por ventura não provar, vão ter que ouvir sim, vai ter que ter debate, vai ter que ter audiência pública, vai ter que mostrar projeto e comprovar tudo e ainda vai ter que trazer o Conselho Deliberativo da Região Metropolitana para estar dentro, porque está fora? Eu já me dou por satisfeito nesta etapa, porque o meu povo vai ser ouvido, e quero que seja ouvido nos mínimos detalhes, temos que garantir o que há de melhor para a nossa gente e não o que há de mais conveniente para quem está no Estado”.

Para Pinheiro, a decisão estadual para substituição do modal VLT para o BRT foi tecnocrata e tomada de forma unilateral. Para o gestor, o ideal seria a realização de um plebiscito para que a população escolha o modelo de transporte que melhor atenda suas necessidades.

“O juiz pede que haja um debate e como presidente do Comitê eu espero que o Governo do estado apresente o projeto do modal que ele propõe, apresente a viabilidade para que se possa discutir com a sociedade qual o modal que melhor atenda a população de Cuiabá e Várzea Grande. A decisão do magistrado é o que o Comitê está aguardando que o Governo faça”, pontuou o presidente do Comitê de Análise Técnica para Definição do Modal de Transporte Público da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá, Juares Samaniego.

A decisão do juiz atende parcialmente ao pedido feito pela Prefeitura de Cuiabá ao Ministério Público Estadual (MPE) de impedir a troca de modal, de VLT para BRT, sem a consultar os municípios envolvidos e a população. Para o magistrado, o Governo do Estado deve adotar “medidas para possibilitar a realização de debates, consultas e/ou audiências públicas, inclusive, com a participação do Conselho Deliberativo Metropolitano da Região do Vale do Rio Cuiabá – CODEM/VRC, conferindo publicidade a todos aspectos que levaram à conclusão de maior viabilidade do modal BRT como solução de mobilidade urbana, comprovando-se nos autos”.

O Comitê

Com foco em dialogar sobre a escolha do melhor modal para Cuiabá, o gestor criou o Comitê de Análise Técnica para Definição do Modal de Transporte Público da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá, em 22 de janeiro via decreto municipal. Além de sua comissão técnica permanente, serão convidadas instituições, como Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), Sindicato das Indústrias da Construção do Estado de Mato Grosso (Sinduscom-MT), COnselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (CREA-MT) e Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Mato Grosso para colaborar com o debate nas reuniões, que devem ser que devem ser abertas para participação pública também.

Ler Anterior

Guarantã do Norte em alerta vermelho

Leia em seguida

MPF declina de investigar prefeito que doou área à empresa de secretário