Notícias de Última Hora :

Aparelho auditivo com “modo máscara” é alternativa que possibilita a comunicação com a proteção facial

Professora da UFMT recebe moção de aplausos em homenagem ao Dia do Contador

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

quinta-feira, 23 de setembro de 2021

OAB faz desagravo em favor de advogado preso durante audiência em Cuiabá

A Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Mato Grosso (OAB-MT) – promoverá, na próxima sexta-feira (27), um ato de desagravo público em favor do advogado Diego Pizzatto. O ato ocorrerá a partir das 8h30, em frente à sede da seccional, em Cuiabá.

Em setembro de 2019, Diego teve prisão determinada pela juíza Renata do Carmo Evaristo de Parreira, na 9ª Vara Criminal em Cuiabá, durante uma audiência. Na ocasião, o advogado foi impedido de acompanhar seu cliente.

Segundo Pizzatto, a audiência havia começado antes do horário marcado e, ao chegar, ele teria sido surpreendido ao ser informado pela magistrada que seu cliente teria aceitado ser representado pela Defensoria Pública após ficar sabendo que o advogado não compareceria. Na sequência, o advogado teria utilizado o aparelho de celular pessoal para fazer uma ligação e colocou o cliente para ouvir e esclarecer a situação.

A juíza, então, determinou a detenção de Diego, dizendo que não era permitido passar uma ligação para o cliente. O advogado foi levado à Central de Flagrantes, onde seus documentos e objetos pessoais foram apreendidos.

No momento da ação, a OAB não foi informada sobre o corrido. O delegado responsável constatou que não havia motivo para a prisão e soltou Diego. “O processo foi analisado pela Ordem, não houve crime ou nenhuma conduta ilegal da minha parte, a não ser da juíza ao determinar a prisão que violou o Estatuto da Ordem dos Advogados à frente de suas prerrogativas. O advogado no exercício de suas funções, ele não pode ser preso naquela ocasião e, mesmo assim, no crime que ela de certa forma quis me imputar eu não poderia ser preso”, declarou Diego ao FOLHAMAX.

À época a Associação dos Magistrados emitiu uma nota afirmando que a juíza não havia pedido a prisão de Diego, apenas solicitado ajuda da Assessoria Militar durante a audiência. No mesmo período, um grupo de advogados organizou um ato de indignação em frente à 9° Vara Criminal de Cuiabá.

O ato de desgravo é previsto no Estatuto da Advocacia e da OAB (Lei Federal 8.906/94) e tem como finalidade promover uma reparação moral ao advogado ofendido no exercício profissional e conclamar a solidariedade da classe contra atos ilegais e abusos de autoridades que violam a liberdade de prática da advocacia. “É um ato previsto em lei, é um direito de resposta, uma pena máxima prevista no Tribunal em defesa às prerrogativas do advogado contra o agente público que viole essas prerrogativas”, acrescentou Pizzato.

Ler Anterior

Em Curitiba, Santos FC perde para o Athletico-PR

Leia em seguida

Fiscalização do Crea-MT passará por 13 municípios em agosto