Notícias de Última Hora :

Consultora financeira explica sobre a nova liberação de empréstimo para quem é beneficiário do BPC

Fonoaudióloga defende diagnóstico precoce para prevenção da perda auditiva

Atleta olímpico participa de jogo de fuga em Cuiabá

Dia do fonoaudiólogo: entenda a importância desse profissional no ambiente hospitalar

Profissionalismo e dedicação marcam 20 anos de profissão da fonoaudióloga Samia Ribeiro

Chapa 2 Integração protocola pedido para que profissionais da contabilidade tenham férias fiscais em MT

Adrenalina, desafios e diversão te esperam no Halloween da Escape60, em Cuiabá

Encontro automobilístico “Esperienza” supermáquinas entra para o calendário de eventos em Mato Grosso

Experiência única de recreação e entretenimento: Conheça o Escape60′

Fotógrafo vem a MT para ensaios que levantam autoestima de mulheres

Aparelho auditivo com “modo máscara” é alternativa que possibilita a comunicação com a proteção facial

Professora da UFMT recebe moção de aplausos em homenagem ao Dia do Contador

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

domingo, 14 de agosto de 2022

Veja rotina do profissional que mata mais de mil bois por dia ‘no automático’

Fora dos horários de pico, a paisagem de pouco movimento em frente à Marfrig engana quem passa rapidamente. Se não fosse o porte industrial das instalações, que abrigam cerca de 4 mil colaboradores, os mais desatentos poderiam incorrer no erro de não notarem o trabalho dioturno realizado por diversos profissionais dentro do complexo, dentre eles os magarefes.

 

Pouco usual aos que estão fora do meio, o termo magarefe sintetiza um profissional de várias funções, que guardam em comum o abate de bovinos. No dito popular, é a pessoa conhecida por “matar boi”. Contudo, conforme garante seo Divino Milton da Silva, a profissão é mais complexa e recheada de fases que requerem muito estômago.

 

À reportagem do GD, seo Divino relembrou os tempos em que era magarefe e se orgulhou de hoje ser a pessoa responsável por ensinar quem quer mergulhar nesse universo dos abates. Colaborador do frigorífico desde 2007, o profissional contou com detalhes como escalou a carreira de auxiliar de produção a instrutor de magarefe.

 

Dentro da sala de negociação do gado, onde a compra e venda de bovinos é realizada, o instrutor compartilhou informações sobre a primeira zona de abate, a “área quente”. Nesse espaço onde atuam os magarefes, os bois são atordoados, degolados, passam pela sangria e pelo rolamento – que é a retirada da pele.

 

Apesar do choque das cenas de abate, que podem ser viscerais para quem vê pela primeira vez, seo Divino garante que com o tempo o processo se torna automático. Dessa forma, segundo ele, com alguma disposição, e milhares de bois ao longo de poucas semanas, os iniciantes logo se tornam hábeis em suas tarefas.

 

“Só no começo (o choque), passou mais tempo já cai no costume. Daí, fica tudo normal, no automático. Isso aconteceu até comigo quando eu entrei. Eu nunca tinha visto. Na época que eu entrei, o primeiro que mandaram foi para ver a ambientação. Subimos lá em cima no box para ver o atordoamento do boi. Esse daí até que foi. Mas, teve gente que quando desceu para ver a sangria saiu para fora e não voltou até hoje”, relembra.

 

Hoje, segundo o instrutor, a produção média em seu turno é de cerca de mil abates diários. Contudo, em épocas de maior demanda, o número chega à casa dos 1,3 mil e até 1,5 mil abatimentos por dia. Quando considerada a produção dioturna, com a soma de todas as equipes, a métrica diária pode chegar próxima aos 2 mil abates.

 

Mas que não haja dúvidas, a produção é totalmente organizada apesar do número expressivo de abates, conforme garante seo Divino. Segundo o instrutor, na verdade, o trabalho do magarefe começa antes mesmo de chegar à Marfrig. A pessoa que trabalha no setor de abatimento deve tomar cuidados pessoais para garantir a higiene no ambiente de serviço.

 

“Desde casa começa o processo. É barba, piercing, unha pintada, para as mulheres os brincos, nada disso pode. Nas duas entradas têm dois banheiros. Quando chega, tem que lavar a bota, lavar tudo certinho. Depois, passa o álcool. Tem a máscara também que não pode tirar”, lembra o instrutor sobre algumas das regras para quem é magarefe.

 

Entusiasmado em falar sobre a profissão, ele garante que há muitas chances de crescimento no ramo. A partir de auxiliar de produção, os iniciantes podem se tornar magarefe I (com o conhecimento de no mínimo 3 funções), magarefe II e magarefe III. No auge da carreira, os mais experientes avançam para cargos de liderança e instrução dos mais novos, a exemplo de seo Divino, que garante o sustento da família com o trabalho.

Fonte: Gazeta Digital

Ler Anterior

Policiais frustram assalto à agência bancária em Sinop e suspeitos são presos

Leia em seguida

Criminosos roubam agência bancária, fazem moradores reféns e explodem banco; veja