Breaking News :

Consultora financeira explica sobre a nova liberação de empréstimo para quem é beneficiário do BPC

Fonoaudióloga defende diagnóstico precoce para prevenção da perda auditiva

Atleta olímpico participa de jogo de fuga em Cuiabá

Dia do fonoaudiólogo: entenda a importância desse profissional no ambiente hospitalar

Profissionalismo e dedicação marcam 20 anos de profissão da fonoaudióloga Samia Ribeiro

Chapa 2 Integração protocola pedido para que profissionais da contabilidade tenham férias fiscais em MT

Adrenalina, desafios e diversão te esperam no Halloween da Escape60, em Cuiabá

Encontro automobilístico “Esperienza” supermáquinas entra para o calendário de eventos em Mato Grosso

Experiência única de recreação e entretenimento: Conheça o Escape60′

Fotógrafo vem a MT para ensaios que levantam autoestima de mulheres

Aparelho auditivo com “modo máscara” é alternativa que possibilita a comunicação com a proteção facial

Professora da UFMT recebe moção de aplausos em homenagem ao Dia do Contador

Escape 60′ oferece desconto para confraternização corporativa de fim de ano

Jogo de fuga cercado de desafios, mistérios e adrenalina: conheça o Escape60′

Feira gratuita ajuda jovens a cursarem faculdades fora do país

Municípios precisam de representatividade na Assembleia Legislativa

Dia do Estudante tem programação especial em escola de Cuiabá

Justiça reconhece que concessionária não é responsável solidária em processo de indenização por defeito de carro

SINDSPEN cobra vacinação urgente para policiais penais e servidores do sistema penitenciário

Prefeito Léo Bortolin toma posse na diretoria do consórcio nacional de compras de vacinas contra a covid

Policiais Penais protestam contra a Pec-32 em todo o Estado

Prefeito de Primavera do Leste e Secretário de Cultura de MT se solidarizam com classe artística e articulam prorrogação da Lei Aldir Blanc

Membros da Academia Mato-grossense de Letras prestigiam lançamento de livro de estudante cuiabano

Pacu entra no cardápio de restaurante internacional

Grupo São Benedito retoma lançamento imobiliário com condomínio recorde de vendas

Pesquisa aponta vitória de Edemil Saldanha(DEM) em Santo Antônio do Leste-MT

Com ampliação de horário e final de ano chegando academias começam a ter mais procura em Cuiabá

Com volta às aulas permitidas, escola de Cuiabá promove visita guiada com alunos do infantil

Após pandemia, professor aposta em pousada sustentável em Cáceres

Aumento de 35% para 40% do desconto em folha e taxas menores beneficiam aposentados e pensionistas do INSS

MDB lança Léo Bortolin à reeleição em Primavera do Leste

Fonoaudióloga alerta sobre perda da audição em crianças

Cresce em Cuiabá a procura por eletroestimulação para pacientes recuperados da Covid-19

Advogado, com orgulho! (Giroldo Filho)

Para facilitar a comunicação, empresa cuiabana doará máscaras transparentes para famílias de pessoas com perda auditiva

Por erro de cálculo, empresários pagam mais impostos do que deveriam, alerta professora da UFMT

Projeto do Deputado Estadual Thiago Silva cria a medalha Pastor Sebastião Rodrigues de Souza

Estudante de Cuiabá participa de live para arrecadar fundos para combater covid 19

Estado atende deputado Thiago e entrega 2 ambulâncias para Rondonópolis

Perda auditiva não tratada gera mais gastos com a saúde, diz pesquisa

quinta-feira, 25 de abril de 2024

Projeto que proíbe a utilização de fratura hidráulica para extração de gás será votado

O Projeto de Lei do Deputado Diego Guimarães (Republicanos) que proíbe a exploração do gás de folhelho (também conhecido como “gás de xisto”) em Mato Grosso pelo método de fratura hidráulica ou fracking, será em breve submetido à segunda votação. “É importante ressaltar que somos contra essa técnica de exploração porque coloca em risco a produção agrícola do estado”.

O deputado explica que a metodologia de extração que se quer proibir envolve a injeção de grandes volumes de água misturada com produtos químicos sob alta pressão nas rochas para liberar o gás preso. “Isso representa uma ameaça ao meio ambiente e à saúde pública. Esta técnica tem sido associada a sérios danos ambientais, incluindo contaminação do solo e da água. O objetivo do Projeto de Lei é garantir a sustentabilidade da agricultura, principal expoente da economia mato-grossense”.

De acordo com relatório publicado pela U.S. Energy Information Administration em 2013, o Brasil possuía a 10ª maior reserva tecnicamente recuperável de gás de folhelho do mundo. Pesquisas iniciais da Agência Nacional de Petróleo (ANP) apontam que as maiores incidências deste gás não convencional estão nas bacias do Parecis, em Mato Grosso, numa área que se estende de Campo Novo do Parecis até Sorriso. Além disso também se expande e atinge parte de vários estados como Parnaíba, Maranhão, Piauí, Recôncavo na Bahia, Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Bahia.
O fraturamento hidráulico consiste em perfurar as finas camadas de folhelho com jatos de água sob pressão. A água utilizada no processo recebe adição de areia e de produtos químicos que mantêm abertas as fraturas provocadas pelo impacto, mesmo em grandes profundidades. Os aditivos mais frequentemente usados totalizam cerca de sessenta substâncias, em sua maioria tóxicas. Na Pensilvânia (EUA), em certos locais próximos a minas de gás de folhelho a água sai da torneira com tanto metano que é possível que entre em combustão. Pela alta pressão envolvida no processo, não há controle para o destino desta água voluntariamente contaminada, que pode atingir não só os depósitos de gás (expulsando-o para superfície) mas também os lençóis freáticos, aquíferos e cursos hídricos.

Ao contaminar de forma permanente os mananciais de água, tanto superficiais como subterrâneos, a técnica de exploração coloca em risco a agricultura e a saúde da população, com claros impactos negativos à economia do Estado. “Mato Grosso está entre os maiores produtores de alimentos do mundo e a água é o insumo principal. Proteger a água é proteger a vida e a agricultura. Tudo isso estaria ameaçado em função da técnica de exploração do gás de folhelho pela fratura hidráulica. A exploração do gás de xisto poderia impactar na produção de dezenas de municípios. Dentre eles, Campo Novo do Parecis e Sorriso que ocupam os primeiros lugares do ranking dos maiores produtores de grãos do Brasil. E esta é a razão de estarmos trabalhando para proibir a utilização desta técnica”, alerta o Deputado Estadual.

*GÁS DE FOLHELHO* – – Popularmente conhecido como “gás de xisto”, tem sua origem na formação de rochas sedimentares derivadas de finos grãos de argila em depósitos de origem marinha ou lagunar devido à baixa intensidade de energia desses ambientes. O gás que se formou entremeado nesse tipo de rocha é resultado da concentração de matéria orgânica que foi depositada ali ao longo de séculos. De acordo com relatório publicado pela U.S. Energy Information Administration em 2013, o Brasil possui a 10ª maior reserva tecnicamente recuperável de gás de folhelho do mundo e grande parte desta reserva concentra-se no Estado de Mato Grosso, em especial na Bacia do Parecis.

Read Previous

TCE analisa decisões sobre BRT, HMC e Prefeitura de VG nesta terça

Read Next

Jayme avalia Garcia como ‘partidário’ e diz que ele apoiará a candidatura de Botelho